O lançamento será nesta quinta-feira, 26, às 19h, no auditório Sr. Zezinho, no Unileste (Foto: divulgação/ PMCF)

Os moradores do Morro do Tomate, um dos primeiros aglomerados de Fabriciano, receberão Assistência Técnica Habitacional de Interesse Social (ATHIS). Trata-se do Projeto Calço, inédito na região, que vai oferecer orientações e suporte profissional visando mais qualidade e segurança nas moradias de famílias em áreas carentes. O projeto é um convênio institucional entre o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU-MG) e a empresa One Consult, com apoio da Associação Solidariedade Brasil-Togo (ASBT), Unileste e Prefeitura.

O lançamento será nesta quinta-feira (26), às 19h, no auditório Sr. Zezinho, no Unileste.  A palestra será ministrada por Leandro Fernandes, arquiteto e urbanista da CODHAB/DF, que falará sobre atuação do governo de Brasília em habitação de interesse social. O debate é voltado para profissionais, agentes públicos, entidades, estudantes e empresas da área de construção civil e arquitetura e urbanismo. Já o trabalho in loco com as cerca 80 famílias do Morro do Tomate começa em outubro e segue até março de 2020.

O projeto é um convênio institucional entre o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU-MG) e a empresa One Consult, com apoio da Associação Solidariedade Brasil-Togo (ASBT), Unileste e Prefeitura (Foto: divulgação/ PMCF)

“O projeto é alinhado a Lei de Assistência Técnica 11.888/2012 e se propõe oferecer assistência técnica para as pessoas não construírem de qualquer jeito, para que tenha acesso a projetos e uma moradia de qualidade. Serão seis oficinas, com assuntos diversos, mas com foco na habitação social. Mas a proposta é replicar a iniciativa para outras comunidades de Fabriciano e também do Vale do Aço”, argumenta o consultor Roberto Caldeira, que vai coordenar o projeto.

INFRAESTRUTURA APÓS DÉCADAS DE ESPERA

A iniciativa vai complementar o trabalho da Prefeitura, que realiza obras de infraestrutura no bairro. São feitas reformas das escadarias para pedestres na Rua Sete e nos Becos Um, Três, Quatro e Sete e construção de uma nova rua de acesso na Alameda Quatro. O investimento é de R$ 268 mil, via compensação paga pela mineradora Vale ao município Há décadas, os moradores esperavam por melhorias e condições mais dignas de moradia.

Mais informações e participação na palestra pelo site: www.projetocalco.com.br

próximo artigoProblema de drenagem pluvial é corrigido no Centro de Ipatinga
Artigo seguinteExecutivo envia à Câmara PL que busca implantar programa de Execução Fiscal Eficiente em Ipatinga
0 0 votes
Classificação
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários