O governador Romeu Zema (Novo) resolveu fugir dos pontos de grande movimento no Carnaval e começou o Carnaval ao lado dos pais. Em uma postagem brincando com o tema da folia mineira “Carnaval da Liberdade e Carnaval da tranquilidade”, o chefe do Executivo mineiro disse que optou pela segunda opção. “Optei pelo Carnaval da tranquilidade: com meus pais”.

O Carnaval de 2024 em Minas Gerais, especialmente em Belo Horizonte, que aguarda 5,5 milhões de foliões, virou uma prioridade do governo estadual. O governo destinou aproximadamente R$ 4,5 milhões através de patrocínios para a festa na capital. O governo espera receber 12 milhões de turistas no Carnaval mineiro.

O governador Zema afirmou que “nós vamos ter um Carnaval como nunca tivemos em 2024”. O empenho do governo para se vincular à festa foi tão grande que o vice-governador Mateus Simões foi pessoalmente ao aeroporto internacional de Confins receber os turistas que chegavam em Minas Gerais.

Porém, a empolgação em 2024 após anos sem envolvimento com o Carnaval de Belo Horizonte gerou críticas de alguns representantes de blocos da capital mineira, como o “Então Brilha”.

“O governo do Estado deu para querer se apropriar da festa. Nunca ajudaram, pelo contrário, quase acabaram com o nosso Carnaval em 2020”, disse a vocalista da banda do Brilha, em cima do carro de som”.

A resposta veio do subsecretário de Cultura de Minas Gerais, Igor Arci. “O Carnaval é democrático, o Carnaval é para todos. Eles têm a opinião deles e a gente respeita muito o Então Brilha, mas também a gente respeita as pessoas que querem ter um som de maior qualidade, um som mais expansivo”, disse ainda no sábado (10).

próximo artigoLula passa o Carnaval em Brasília e ministro desfila na Sapucaí
Artigo seguinteClássico entre América e Cruzeiro, no Mineirão, já tem arbitragem definida