Chefe da Secom diz que pretende ‘regionalizar’ a comunicação em 2024 e defendeu PL das fake news

O ministro da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Paulo Pimenta, admitiu que o principal problema do governo Luiz Inácio Lula da Silva em 2023 foi a comunicação. Em entrevista à GloboNews, nesta terça-feira (29), ele disse que sua área “precisa melhorar bastante”, sobretudo no digital.

“Qualquer área que analisarmos, o Brasil está melhor. O erro principal é da comunicação. Vamos procurar regionalizar mais a comunicação, estar presentes também no interior, melhorar o uso das redes sociais e de outras tecnologias”, afirmou.

Pimenta anunciou que o governo federal está fazendo uma licitação para o segmento digital, algo que “qualquer prefeitura ou governo de estado tem”.

“Isso vai nos dar muito mais eficiência, para poder fazer comunicação segmentada: campanhas de vacinação, campanhas de recadastramento do Bolsa Família, informações sobre o Enem”, apontou.

“Você pode ter uma campanha do governo com 27 formatos, que chegue perto da comunidade, que o povo brasileiro se enxergue nas ações do governo”, completou.

Ao ser questionado sobre o possível uso de memes na internet, o ministro afirmou que é uma alternativa, mas de maneira “ética” e diferente do que era feito no governo Jair Bolsonaro.

Paulo Pimenta também defendeu que o Congresso Nacional avance, a partir de fevereiro, em uma legislação que regulamente as mídias digitais. Governistas tentaram aprovar o projeto em 2023, mas enfrentaram forte resistência. Para o ano que vem, é considerado uma prioridade. Segundo o chefe da Secom, o desafio é equilibrar regulação e liberdade de expressão.

próximo artigoApós pressões, Pacheco admite analisar devolução da MP da reoneração
Artigo seguinteTrecho da BR-040 entre BH e Juiz de Fora será leiloado em abril