Com atividades lúdicas, dinâmicas e dramatizações, o projeto ‘SAMU nas Escolas’ já treinou em Ipatinga, somente este ano, mais de 800 crianças, adolescentes e professores (Foto: divulgação/ PMI)

Na quinta-feira (5), o projeto ‘SAMU nas Escolas’ ganhou um reforço de peso, com a chegada de mais 30 acadêmicos de enfermagem da Faculdade Única. Em conjunto com os profissionais do serviço, eles treinarão os alunos das escolas públicas e privadas do município sobre como ajudar a salvar vidas em situações de urgência e emergência, além de conscientizar sobre os prejuízos que os trotes causam ao SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

Com atividades lúdicas, dinâmicas e dramatizações, o projeto ‘SAMU nas Escolas’ já treinou em Ipatinga, somente este ano, mais de 800 crianças, adolescentes e professores.

Na sala do Núcleo de Educação Permanente do SAMU, no bairro Cidade Nobre, os futuros enfermeiros foram atualizados sobre temas que serão trabalhados nas escolas, como parada cardiorrespiratória, obstrução de vias aéreas (engasgo), crise convulsiva, desmaio, afogamento, fraturas abertas e fechadas, dentre outros.

Outros 60 estudantes de medicina passaram por esta etapa e já participam do projeto. No próximo semestre, será a vez dos alunos do UnilesteMG – Centro Universitário do Leste de Minas ingressarem também nas atividades.

Para a acadêmica Renata Cíntia Barcelos, do 8º período, “é muito nobre o sentimento de poder ensinar pessoas a saberem agir numa situação de urgência, podendo salvar uma vida. Com isso, queremos reforçar o propósito de torná-los agentes multiplicadores desse conhecimento, orientando suas famílias, vizinhos, colegas, e reforçando, especialmente, sobre quando ligar ou não para o 192, evitando passar trotes”, salientou.

Dierry Nilton, diretor do SAMU, explica como o projeto tem trazido excelentes resultados para o serviço. “O ‘SAMU nas Escolas’ é um dos projetos mais importantes que desenvolvemos junto à comunidade para educação e conscientização. Com as diversas ações desenvolvidas, temos diminuído cada vez mais os índices de trotes”, revela.

Na comparação do segundo quadrimestre do ano passado com o mesmo período de 2019, verifica-se o saldo positivo. A central de atendimento do SAMU recebeu 1.066 ligações falsas de maio a agosto do ano passado e, este ano, foram registradas 593 chamadas.

“Uma redução quase que pela metade”, observa Dierry, complementando: “Este tipo de chamada coloca em risco a vida de quem de fato precisa, uma vez que pode ser que o serviço receba uma ligação de alguém que tenha necessidade real, mas naquele momento, a ambulância tenha ido atender uma ocorrência que era fruto de trote”.

A ação promove também a integração entre comunidade e alunos, proporciona o crescimento pessoal e acadêmico de docentes e discentes, familiariza os acadêmicos das faculdades participantes com a rotina dos socorristas e, principalmente, forma agentes multiplicadores, aumentando a conscientização de crianças e adultos acerca da temática do trote.A solicitação de palestras e treinamentos pelas escolas do município pode ser realizada diretamente com os profissionais do SAMU de Ipatinga, através do e-mail [email protected]


próximo artigoPMI emite nota sobre incêndio na Instituição Ágape
Artigo seguinteObras do Finisa em Ipatinga começam a ser apresentadas em reuniões públicas
0 0 votes
Classificação
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários