Departamento de Trânsito fiscalizou transporte escolar em Ipatinga

A blitz não teve caráter punitivo e os condutores dos veículos receberam advertências

A Seção de Transportes Especiais e Coletivos (Setrec), ligada à Secretaria Municipal de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), realizou nesta quinta-feira (2) uma blitz educativa nas imediações da Escola Estadual João XXIII, no bairro Iguaçu, em Ipatinga. O objetivo da ação é combater o transporte escolar clandestino e avaliar o estado de conservação dos veículos, bem como os equipamentos de segurança.

Segundo o gerente da Setrec, Hermelindo Dias Santos, cerca de 40 veículos foram vistoriados.  E, deste total, mais de 50% apresentaram algum tipo de pendência. A ação contou com o apoio da Polícia Militar.

“A maioria dos motoristas e dos veículos apresentaram irregularidades, desde as infrações mais leves até as mais graves. Constatamos falta de selo e credencial vencida, falta do registro emitido pela prefeitura e veículos com placas na cor cinza. Tivemos também dois veículos que não estavam com os documentos de 2018 pagos. Esses foram removidos pela polícia ao pátio credenciado”, relata o gerente.

Hermelindo explica que a blitz não teve caráter punitivo neste primeiro momento. “Constatadas as irregularidades, nós somente alertamos os motoristas por meio de advertências. Não houve aplicações de multas”.

Parceria

O gerente do Setrec orienta que os pais dos estudantes que fazem o uso do transporte escolar sejam parceiros da prefeitura. Para ele, é importante que eles adotem a postura de serem os “verdadeiros fiscais” e tomem conhecimento se o veículo que está transportando os filhos é devidamente licenciado pela Prefeitura de Ipatinga.

“O maior patrimônio do veículo escolar que está sendo transportado são os filhos deles. Então, nós queremos que os pais nos ajudem a fiscalizar. Quando o veículo está devidamente licenciado pela Prefeitura de Ipatinga, o pai terá a segurança que o motorista ou o condutor auxiliar passou por uma avaliação médica, por um psicólogo, psiquiatra e também tem o registro de bons antecedentes”, ressalta.

Exigências de resolução

Além da fiscalização dos veículos, os fiscais de posturas também orientaram motoristas dos escolares sobre o cumprimento daResolução nº 504, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), publicada em outubro de 2014.

A determinação torna obrigatório o uso de espelhos retrovisores, câmera-monitor ou outro dispositivo equivalente nos veículos destinados ao transporte escolar. A medida tem o objetivo de oferecer ao motorista visão completa do entorno do veículo no momento de embarque e desembarque dos passageiros.

Segundo o gerente do Setrec, todos os veículos destinados ao transporte escolar fabricados no país ou importados devem cumprir os requisitos da resolução. O prazo dado para adequação expirou em janeiro de 2018.

“Ao realizar as vistorias dos veículos em janeiro deste ano, não cobramos dos motoristas a adequação a esta medida. Porém, uma nova vistoria está programada para setembro. E nesta ocasião será cobrada a câmera de ré, prevista na resolução. Então, é importante que fique claro que além de todos os documentos que já são exigidos, os motoristas também precisam se adequar quanto ao cumprimento da resolução”, advertiu.

Fonte: