Com faixas e discursos, eles cobraram o cumprimento de acordos para reajuste salarial da categoria

Servidores das forças de segurança colocaram faixas e fizeram um protesto na porta do governador Romeu Zema (Novo), na manhã desta segunda-feira (1º). Eles exigem que a administração estadual cumpra promessas feitas em relação à recomposição salarial da categoria.

Nas mensagens, os sindicatos dos servidores afirmavam que estão há sete anos sem reajuste e cobram uma resposta do governador.

“Estamos aqui, neste dia 1º de abril, pois o governador vem demonstrando que é um baita mentiroso; contra as forças de segurança pública”, disse Jean Otoni, presidente do Sindicato dos Policiais Penais do Estado de Minas Gerais (Sindpenn-MG).

A manifestação antecedeu uma audiência pública realizada na Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nesta segunda-feira. Durante o evento, os servidores cobraram acordo feito com a categoria em 2019, com a promessa de reajuste de 41,6% para recompor perdas salariais, mas que não foi cumprido integralmente. A recomposição seria feita em três parcelas, mas apenas a primeira foi paga pelo Estado.

Eles também cobraram transparência do governo estadual no repasse de R$ 7 bilhões que deveria ser feito ao Instituto de Previdência dos Servidores Militares (IPSM), referente às contribuições previdenciárias patronais, mas que não estariam em dia.

“A segurança pública está sangrando. Os policiais estão passando dificuldades”, disse o presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais (Sindpol), Wemerson Silva de Oliveira, durante a audiência na ALMG.

O governo do Estado foi acionado para comentar a manifestação feita pelos servidores da segurança, mas ainda não se posicionou sobre o assunto.

próximo artigoSTF já tem maioria dos votos contra tese de ‘poder moderador’ das Forças Armadas
Artigo seguinteAvalanche em resort deixa 3 mortos na Suíça