A caminhada em busca da estrela inédita no peito da camisa verde-e-amarela recomeça neste dia 20. Com estreia no dia 23, a seleção brasileira disputa mais uma edição da Copa do Mundo de futebol feminino, na Austrália e na Nova Zelândia. O caminho é complicado, com as melhores jogadoras do mundo brigando pelo mesmo propósito, mas ídolos do passado e do presente veem o momento da seleção brasileira como especial, o que faz com que a torcida possa acreditar em uma boa campanha no Mundial.

Histórica, Miraildes Maciel Mota, conhecida internacionalmente como Formiga, esteve em campo em sete edições de Copas defendendo a camisa Canarinho de 1995 – segunda edição do torneio – a 2019. Mesmo oficialmente aposentada da seleção brasileira, a craque não deixa de acompanhar e torcer para o sucesso na campanha no Mundial. Com exclusividade à O Tempo Sports, Formiga falou sobre o momento atual do Brasil no futebol feminino, e as mudanças táticas que a técnica Pia Sundhage implementou desde o início do seu trabalho com o grupo em 2019.

“A seleção brasileira feminina vem tendo uma melhora, principalmente na parte defensiva. Claro que ainda estamos em construção em relação à parte ofensiva, ainda pecamos um pouquinho, mas há evolução. Também esperamos que, para uma próxima Copa, possamos estar bem melhor que hoje. Enxergo com bons olhos”, falou Formiga.

E não foi só a craque que viu a evolução brasileira nos últimos compromissos. Antes da Copa, o Brasil jogou contra a Inglaterra a Finalíssima, e ficou ‘no quase’, perdendo nos pênaltis. Em amistoso contra a Alemanha, um dos jogos mais empolgantes no ciclo: uma vitória por 2 a 1 em frente a 32.587 torcedores em Nuremberg, e a torcida brasileira reagiu positivamente.

“Na final da Finalissima, o Brasil teve uma melhora grande na questão mental e conseguiu o empate. Contra a Alemanha, uma das favoritas ao título, o Brasil se comportou muito bem. Acho que para uma próxima Copa podemos fazer esses ajustes no ataque, e que tenhamos um pouco mais de equilíbrio”, analisou Formiga.

próximo artigoDesenrola: renegociação de dívidas começa nesta 2ª; 1,5 milhão terá o nome limpo
Artigo seguinteBrasil perde para a China e fica fora da semifinal da Liga das Nações