Foto: Reprodução/Cruzeiro

Acostumado ao mais diversos títulos dentro de campo, o Cruzeiro celebrou, na noite dessa terça-feira, uma das suas mais simbólicas e importantes conquistas fora das quatro linhas: a formatura dos atletas das categorias de base.

Em cerimônia realizada no Parque Esportivo do Barro Preto, 40 jogadores distribuídos entre o 9º ano do Ensino Fundamental e o 3º ano do Ensino Médio do Colégio Rui Barbosa comemoraram a conclusão de mais uma etapa essencial na formação dos mesmos enquanto atletas e cidadãos.

Dentre os formandos estava o goleiro Róbson, que defende a base celeste desde 2014. Contando com a presença dos familiares, que viajaram 443 quilômetros de Cordeiro-RJ para Belo Horizonte, o arqueiro vê como uma “grande defesa” o fato de conseguir se formar em meio à pesada rotina como jogador de futebol.

“Entre o diploma de formado e uma defesa difícil, eu fico com os dois. Tendo o estudo, eu me aprimoro dentro. Consigo pensar mais rápido, o que acaba ajudando nas defesas”, afirmou o goleiro, que já faz planos para o futuro.

“É muito gratificante ver que pude retribuir todo o esforço depositado sobre mim. Concluí o terceiro ano e agora quero encaminhar a faculdade. Quero fazer Educação Física, continuar no esporte, que é a minha área”, completou.

A maneira confiante com que Róbson olha para o futuro após a noite dessa terça-feira é exatamente o que escancara a satisfação no semblante do diretor das categorias de base, Quintiliano Lemos. De acordo com o dirigente, a Toca da Raposa I, com uma escola dentro de suas dependências, é um grande formador de atletas e cidadãos.

“Educar jovens atletas significa darmos a eles a oportunidade de um futuro melhor. O Cruzeiro tem este diferencial, garantindo a educação formal aos jogadores. A educação e o conhecimento unidos é algo que irá facilitar o crescimento deles, dando-lhes estrutura para se tornarem jogadores profissionais. Desta maneira, os atletas vão aprender a dar entrevistas, a fazer contratos e saber quem são as pessoas que estão ao redor deles. É conhecimento em todos os sentidos. Não só na prática dos esportes, mas um conhecimento formal que eles podem levar para toda a vida”, ressaltou.

“Acredito no tripé: família, educação formal e esporte. A família é o porto seguro de todo ser humano. A educação de qualidade é o que fornecemos dentro do clube e o esporte é o meio importante para os atletas como formador de regras e condutas. O esporte ensina o jogador a se comportar, a estar em grupo, a vencer e a perder. Tudo isso faz parte da formação completa do indivíduo”, concluiu.

Quintiliano Lemos, diretor da base – Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro
próximo artigoCapela ecumênica é inaugurada no Shopping Vale do Aço
Artigo seguinteMandado de desapropriação é cumprido em local conhecido como Monte da Resposta em Ipatinga
0 0 votes
Classificação
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários