Com o comparecimento de 4.290 eleitores, o município de Coronel Fabriciano realizou no último domingo, 1º de outubro, as eleições para o novo Conselho Tutelar. O processo ocorreu com tranquilidade em 14 pontos de votação e resultou na escolha dos conselheiros titulares e suplentes que atuarão na proteção dos direitos das crianças e adolescentes do município.


Os conselheiros eleitos para o mandato de 2024 a 2027 são:

·         Missionária Lidiane – 604 votos

·         Waldeci Lopes – 520 votos

·         Djalma Eugênio – 469 votos

·         Erick Gomes – 449 votos

·         Roberta Silva – 428 votos

Os suplentes que completam o quadro são:

·         Rian Carlos – 325 votos

·         Marquinhos Lima – 315 votos

·         Adair de Carvalho – 322 votos

·         Laci Ferreira – 250 votos

·         Gleice Ferreira – 206 votos

O processo eleitoral foi organizado pela Comissão Especial do Processo de Escolha do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, com o apoio da Prefeitura e da Justiça Eleitoral. Ao todo, 14 candidatos concorreram às cinco vagas de titulares e cinco de suplentes para compor o Conselho Tutelar de Coronel Fabriciano.

Com 604 votos, Missionária Lidiane foi a candidata mais votada. “Gratidão me define neste momento. Agradeço a Deus em primeiro lugar e a todos os meus irmãos, amigos e familiares que votaram e confiaram em mim para mais essa missão. Estou muito feliz e quero honrar e fazer valer o voto de cada um, trabalhando com seriedade e compromisso e sendo a voz para nossas crianças e adolescentes.  Parabenizo também os meus colegas eleitos”, pontuou a conselheira eleita.

A Secretária de Governança de Assistência Social, Letícia Godinho, comentou o processo. “Mesmo com a chuva atrapalhando um pouco o comparecimento dos eleitores às urnas, as eleições ocorreram de forma tranquila durante todo o dia e o número de eleitores ficou dentro da média do município. Agora, o próximo passo será a capacitação desses membros, que assumiram seus cargos em 10 de janeiro de 2024, para um mandato de quatro anos, até 2027”, enfatizou a secretária.

Vale ressaltar que o voto do eleitor para a escolha dos novos conselheiros tutelares é facultativo, apesar de o cargo ser de grande importância e relevância para a rede de proteção e defesa dos direitos das crianças e adolescentes da cidade e do esforço do município na divulgação do pleito.

próximo artigoHomem é atropelado por trem após discussão com amigo em um bar
Artigo seguinteSobe para 2 número de mortos após deslizamento de terra no Amazonas