O trabalho dos agentes de endemias tem se intensificado para reduzir os locais de focos do mosquito (Foto: divulgação/ PMBO)

De acordo com o mais recente Levantamento de Índice Rápido de Aedes Aegypti (LIRAa) de 2019, o município de Belo Oriente reduziu o número de focos do mosquito transmissor da dengue, zika, chinkungunya e febre amarela.

No resultado do LIRAa divulgado nesta semana pela Vigilância Ambiental e Epidemiológica, a cidade apresentou um índice médio de 2,2%, um dos menores índices alcançado pelo município. No ano passado, o resultado foi de 5,9%, uma redução de 3,7% no índice. Com o resultado, a classificação continua em médio risco, a Organização Mundial de Saúde  tem como índice satisfatório abaixo de 1%.

A equipe da Vigilância Ambiental e Epidemiológica tem intensificado o trabalho de conscientização da população e os agentes de endemias têm visitado as residências e lotes vagos para remoção de possíveis criadouros de larvas de dengue.

Segundo a coordenadora da Vigilância Ambiental e Epidemiológica, Priscila Moreira Hermógenes, a população deve continuar com os cuidados para se evitar que o mosquito se prolifere.

“Tampar a caixa d’agua, não deixar água nos vasos de plantas, manter as calhas limpas e deixar garrafas viradas com a boca para baixo, são alguns dos cuidados que o cidadão pode realizar para evitar a proliferação do mosquito”, exemplificou Priscila.  

próximo artigoExecutivo assina ordem de serviço para reforma do anexo da E.M. 7 de Outubro
Artigo seguinteDicas de Saúde: Laringite
0 0 votes
Classificação
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários