Corte irregular de barranco, sem autorização ou acompanhamento de profissional habilitado, pode ter sido causa de desabamento

A Defesa Civil de Ipatinga emitiu nesta segunda-feira (8) laudo técnico de vistoria feito em imóveis localizados na av. Juscelino Kubitschek, 1.370, bairro Jardim Panorama. No local, na madrugada do último sábado (6), ocorreu o desabamento de um muro de arrimo e de uma escada de acesso ao terreno superior, causando a destruição parcial de dois imóveis e o soterramento de cinco veículos.

A avaliação da Defesa Civil conclui que podem ocorrer novos deslizamentos no terreno, na parte superior do talude, uma vez que foram encontradas trincas no solo e na casa que, segundo a análise realizada, está dependurada. Há risco também do restante do imóvel desabar.

A causa específica do desabamento ainda exige estudos técnicos mais apurados, fundamentada em trabalho pericial, mas uma análise preliminar dos técnicos leva a crer que uma obra irregular por parte dos proprietários pode ter causado o acidente com várias perdas materiais.

Escavação e acúmulo de águas

Informações registradas no laudo dão conta de que em setembro de 2023 foi feita uma “escavação no terreno inferior, que pode ter afetado a estrutura da fundação do muro, que neste sentido pode ter desabado e arrastado o restante acima. Outra hipótese pode ser que águas pluviais na parte superior podem ter se acumulado por trás do muro de blocos de concreto e este desabado e provocado a sobrecarga e a queda do muro de concreto”, informa o documento.

A Prefeitura Municipal de Ipatinga tem orientado a população frequentemente a respeito de obras irregulares. Quem constrói de forma ilegal ou realiza escavações sem licença prévia incorre em crime de engenharia e contra o meio ambiente, além de colocar vidas em risco.

Autuação

A proprietária dos imóveis do Jardim Panorama foi autuada por obra irregular. A Defesa Civil Municipal orientou-a a realizar obras emergenciais de eliminação do risco. Enquanto isso, o local permanecerá interditado.

Em razão do perigo evidente de ocorrerem novos deslizamentos de terra no local, a remoção de móveis ou qualquer outro objeto do local está proibida.

A recomendação de momento é aguardar a estiagem e contratar empresa qualificada, com experiência, para execução dos serviços de desocupação dos imóveis.

O local está isolado até a adoção das medidas informadas. Os prédios ao lado, até esta terça-feira (9), não haviam sido afetados. Quanto à rua na parte superior, também até esta terça não foi relatada nenhuma anormalidade em função do ocorrido.

próximo artigoIpatinga abre vagas para a Escola de Artes Cênicas
Artigo seguinteGoverno terá estrutura permanente para apoio e segurança aos yanomami