Quanto mais cedo o câncer de mama é detectado, maiores são as chances de tratamento e cura

Falar abertamente sobre o câncer de mama pode ajudar a esclarecer dúvidas, ampliar conhecimento e reduzir temores relacionados à doença. Um nódulo ou outro sintoma suspeito nas mamas sempre deve ser investigado. Durante esse processo, além do exame clínico, outros exames poderão ser recomendados para avaliação, como mamografia, ultrassonografia ou ressonância magnética.

A confirmação do diagnóstico é feita por meio de biópsia, com coleta de um fragmento do nódulo ou da lesão suspeita por meio de punções ou de uma pequena cirurgia. Quanto mais cedo um tumor é detectado, maior é a probabilidade de tratamento e cura.

O tratamento do câncer varia de acordo com o estadiamento da doença, ou seja, a fase em que o câncer se encontra. Além disso, características biológicas do tumor e as condições de cada paciente também influenciam na escolha do esquema terapêutico.

As modalidades de tratamento do câncer de mama podem ser divididas em tratamento local (cirurgia e radioterapia) e tratamento sistêmico (quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica).

  • Fases I e II

Nas fases iniciais do câncer de mama, a conduta habitual é a cirurgia, que pode ser conservadora, com a retirada do tumor ou mastectomia, que é a retirada da mama de forma parcial ou total, seguida ou não de reconstrução mamária.

Após a cirurgia, o tratamento complementar com radioterapia pode ser indicado em algumas situações. Já a reconstrução mamária sempre é considerada nos casos de retirada da mama para minimizar os danos físicos e emocionais.

O tratamento sistêmico será indicado de acordo com a avaliação de risco de a doença retornar e, nesses casos, também é considerada a idade da paciente, o tamanho e o tipo do tumor e se há comprometimento dos linfonodos axilares.

  • Fase III

Pacientes com tumores maiores que 5 cm, porém ainda localizados, se enquadram no estágio III. Nesses casos, o tratamento sistêmico, principalmente com quimioterapia é a opção inicial. Após a redução do tumor promovida pela quimioterapia, é dada sequência ao tratamento com cirurgia e/ou radioterapia.

  • Fase IV

Nessa fase, em que já há metástase e que o câncer se espalhou para outros órgãos, é fundamental equilibrar o controle da doença e o prolongamento da vida. A atenção à qualidade de vida da paciente com câncer de mama deve ser uma preocupação dos profissionais de saúde ao longo de todo o processo terapêutico.

Fran Martins
Ministério da Saúde

próximo artigoSegundo turno: comícios ficam proibidos a partir da meia-noite
Artigo seguinteComerciários ganham aumento de 7.2% em Timóteo e Fabriciano