Pesquisa com 5 mil mulheres também apontou que 57% delas possuem sobrepeso ou obesidade

Em uma rotina que envolve trabalho, trânsito, tarefas domésticas, estudo, filhos ou cuidado com parentes, nem sempre sobra tempo para as mulheres se dedicarem à própria saúde e bem-estar. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Pipo Saúde, e divulgada em maio deste ano, apontou que 65% das trabalhadoras no Brasil não praticam nenhum tipo de atividade física e são consideradas sedentárias. Mais de 5 mil mulheres foram ouvidas pelo estudo.

Entre as causas que levam as mulheres a não se exercitarem estão o acúmulo de funções, longas jornadas de trabalho e aumento da cobrança. Para o fisioterapeuta Rodrigo Fadel, o alto número de pessoas sem praticar atividades físicas acende um alerta. “É muito preocupante. Sabemos que o sedentarismo é um gatilho para uma série de patologias. O corpo humano necessita de movimento, nasceu para se movimentar. Quando estamos fisicamente ativos, evitamos uma série de problemas e tendo vários benefícios. Atividade física ajuda a evitar diversos problemas”, explica.

A pesquisa também apontou que 57% das mulheres possuem sobrepeso ou obesidade, o que pode piorar sem a prática de atividades constantes. Rodrigo conta que os fatores biológicos e naturais podem piorar ainda mais a situação de mulheres que não praticam atividades. “No caso da mulher, o fato dela ter uma estrutura corporal diferente do homem, o desgaste pode ser maior. Mulheres que tiveram filhos e não tiveram fortalecimento pós puerperal, podem evoluir para problemas de coluna. Se ela não faz uma prática regular de atividade fisica, ela pode desenvolver problemas na coluna. A prática frequente ajuda a mulher a evitar a osteoporose, que é uma doença comum”, diz.

O fisioterapeuta também alerta para os problemas que as pessoas podem ter caso não pratiquem atividades. “O corpo necessita de movimento. Uma vez que a gente não permita que isso aconteça, entramos no sedentarismo e temos efeitos no organismo. O pior deles são doenças de ordem ortopédica. Se eu não faço atividades, começo a ter uma atrofia muscular, sobrecarregando e gerando problemas. Lesões na cartilagem, menisco e por aí vai. O músculo tem um papel fundamental na proteção e sustentação do nosso corpo, sem me movimentar, tenho a possibilidade de gerar sobrecargas maiores”, explica o médico.

Ainda segundo a pesquisa, 54% das mulheres têm o risco de desenvolver algum tipo de doença mental. Praticar atividades com frequência pode ajudar a pessoa a liberar hormô

nios estimulantes, que ajudam a ter um psicológico mais saudável. “A atividade física libera hormônios que dão uma sensação de bem estar, plenitude, conseguindo controlar o bem estar, o psicológico da pessoa”, conta.

Para começar a praticar atividades, o fisioterapeuta recomenda que a pessoa procure por atividades leves e procure um especialista que o acompanhe. “A prática regular da atividade física tem que ser acompanhada por um profissional bem capacitado, para que a pessoa tenha os benefícios completos. Para quem não faz nada, fazer um pouco é muito importante. quem está muito tempo parado, recomendo uma boa caminhada ao ar livre, em um lugar plano, ativando todo o corpo por 30 a 40 minutos. Treinamento de força sem precisar ir na academia, exercícios simples como levantar e sentar na cadeira, subir e descer escada, já ajudam muito”.

 

próximo artigoAtlético aparece entre os melhores da Libertadores em vários fundamentos; confira
Artigo seguinteMédicos alertam gestantes sobre importância da vacinação no pré-natal
0 0 votes
Classificação
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários