Novo coronavírus avança e agora está presente em 99% dos municípios mineiros

Coronel Murta, no Vale do Jequitinhonha, confirmou o primeiro caso de Covid-19, segundo informou nesta terça-feira (22) a Secretaria Estadual de Saúde (SES). Com o mais recente registro, o novo coronavírus já atingiu 99% das cidades mineiras. Agora, somente nove dos 853 municípios não têm notificações da doença.

O paciente de Coronel Murta é apenas um dos 2.039 diagnósticos positivos atestados nas últimas 24 horas. Com isso, o total de pessoas contaminadas no Estado saltou para 273.233.

Dentre elas, 6.764 pacientes não resistiram ao vírus e perderam a vida – sendo que 37 óbitos foram confirmados entre segunda-feira e hoje. Em Minas, a doença tem letalidade de 2,5%.

O boletim epidemiológico da SES revela que, atualmente, 26.752 doentes são acompanhados por equipes de saúde, seja em isolamento domiciliar ou internação. Desde o início da pandemia, em março, 27.292 mineiros precisaram de leitos de enfermaria ou UTI.

No Estado, 239 mil pessoas conseguiram se livrar do vírus e, atualmente, são consideradas recuperadas. Belo Horizonte, que registrou aumento na taxa de transmissão do vírus e inicia no próximo fim de semana mais uma etapa da flexibilização, lidera as notificações da doença, com 38 mil casos e 1.167 óbitos.

São Tomé das Letras, que até o momento não teve registro da doença, fez o caminho reverso e decidiu, nesta semana, prorrogar o fechamento da cidade. Por mais 20 dias, o município permanecerá fechado para turistas e visitantes.

Veja a lista das cidades que não têm registro da Covid-19:

  • Aracitaba: 2.057 habitantes
  • Botumirim: 6.319 habitantes
  • Camacho: 2.901 habitantes
  • Cedro do Abaeté: 1.164 habitantes
  • Pedro Teixeira: 1.807 habitantes
  • Queluzito: 1.939 habitantes
  • Santana do Garambéu: 2.458 habitantes
  • São Thomé das Letras: 7.089 habitantes
  • Veredinha: 5.720 habitantes
próximo artigoCompanhia Nacional do Abastecimento avalia que Brasil terá 2ª maior safra de café em 2020
Artigo seguinteEm discurso na Assembleia Geral, Trump diz que ONU deve responsabilizar China pela pandemia