A Associação Mineira de Psiquiatria (AMP) realiza nos dias 17 a 19 de março em Governador Valadares, a V Jornada da Psiquiatria, maior evento voltado aos estudos de saúde mental no interior de Minas Gerais, reunindo profissionais do Vale do Aço e do Leste de Minas (Governador Valadares, Vale do Aço, Teófilo Otoni e Caratinga). Esta é a primeira vez, após a Pandemia da Covid 19 que a Jornada volta a ser realizada, agora com objetivo de reunir psiquiatras, psicólogos e demais profissionais da saúde, além de estudantes de medicina, psicologia e cursos afins, interessados na temática do Suicídio, considerado um dos principais problemas de saúde pública do Brasil.

Na primeira noite, Humberto Corrêa, presidente da AMP, abre o evento com uma Aula Magna do curso que será ministrado nos outros dois dias e traz o tema ”Suicídio, da prevenção a pósvenção”, e antes mesmo da conferência, lança em Valadares seu livro “Tratado da Suicidologia”, uma área interdisciplinar que congrega esforços de psiquiatras, médicos de outras especialidades, psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais, economistas, entre outros. A obra de 54 capítulos, oferece contribuições de profissionais de diversas áreas do conhecimento, com grandes nomes em Suicidologia do Brasil e de outros países. “É uma obra que pretende contribuir, mesmo que modestamente, a prevenção do suicídio. Nesses quase 200 anos de construção teórica da Suicidologia, temos hoje, uma base sólida e científica onde podemos trabalhar desde saúde pública a individualizada. Acho de particular importância neste livro, os capítulos abordando as interfaces dos comportamentos suicida com o Direito no Brasil, aspectos que muitas vezes negligenciamos, mas acho importante ressaltar”, afirma Corrêa.

Temas como a criminalização do suicídio e transtornos psiquiátricos também serão abordados durante a jornada. “A atenção dos profissionais da área da saúde e uma ampla discussão sobre o tema podem fazer a diferença”, explica o psiquiatra, Pedro Colen que completa falando sobre a desmistificação do tema, “penso que falar sobre o suicídio sem tabus e sem preconceito é um caminho para entendermos o que leva a pessoa a esse extremo e a uma morte tão violenta”, interpela Colen.

Curso

No segundo e terceiro dia da V Jornada de Psiquiatria acontece o curso “Cuidados de enlutados por suicídio e coordenação de grupo de apoio” que será ministrado pela psicológica Vivian Zicker. A formação apresenta algumas maneiras de ajudar os participantes a entender e tratar os enlutados que estão psicologicamente sensibilizados com a perda. “Diferente de perder uma pessoa por acidente ou causas naturais, o enlutado por suicídio apresenta uma série de características que os difere dos demais, pois experimenta sentimentos que antecedem a dor em si, principalmente de culpa, de raiva, de vergonha, de sensação de abandono, além de se fazer muitas perguntas não respondidas”, explica Zicker. É preciso reforçar a necessidade de tratamentos específicos para familiares e pessoas próximas ao suicida. “O luto é diferente de outros, pois o ato de tirar a própria vida não é socialmente aceitável. Assim, tanto o suicida quanto a família são extremamente julgados”, reitera Zicker.

Dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), apontam que o suicídio foi o responsável por mais de 1 em cada 100 mortes em 2019. Entre os jovens de 15 a 29 anos, o suicídio foi a quarta causa de morte depois de acidentes no trânsito, tuberculose e violência interpessoal. “Trazer essa realidade e a necessidade de debates constantes sobre o assunto é primordial. Nesse curso com carga horário de 14 horas, nós vamos ter uma abordagem de vários temas que irão da prevenção ao acolhimento de enlutados. Buscar entender melhor os impactos sociais, os fatores de risco e os principais transtornos que se associam a morte”, afirma Colen com expectativa positiva sobre a qualificação de quem passar pela Jornada.

Encontro com enlutados

A noite do sábado dia 18/3, será marcada por uma reunião de acolhimento às famílias enlutadas, no salão da Catedral de Santo Antônio que fica no centro da cidade e facilita a participação. Pessoas que perderam entes queridos e próximos, serão convidadas e terão a oportunidade de compartilhar as emoções e sentimentos provocados pela perda com a psicóloga Vivian Zicker, os psiquiatras que vão participar do grupo e os profissionais que inicialmente vão comandar esse trabalho em Valadares.

A reunião, marca o início de um Grupo de Apoio, já existente em Belo Horizonte desde 2019, e que agora, por iniciativa dos psiquiatras que compõe a Regional Vale do Aço e Leste de Minas da Associação Mineira de Psiquiatria é  trazido para Governador Valadares, devido aos resultados positivos já alcançados na capital. “As pessoas chegam com hipóteses, muitas perguntas e com a sensação de que deveriam ter feito alguma coisa”, explica  Zicker e nós podemos ajudar.

Pedro Colen explica que é importante assumir responsabilidades com a comunidade. “Temos que assumir uma responsabilidade que vai além da profissional e como cidadãos temos que ajudar as pessoas que estão vivendo esse luto tão difícil, por isso, buscamos trazer o grupo de apoio para Governador Valadares com o suporte e orientação de quem já faz isso com sucesso em Belo Horizonte”, afirma Colen otimista com os resultados que serão alcançados para quem vive o problema e com a possibilidade de ajudar.  

Mini Currículo

Humberto Correa

• Professor titular de Psiquiatria da UFMG;

• Membro da Associação Brasileira de Psiquiatria;

• Presidente da Associação Mineira de Psiquiatria;

• Ex-Presidente da Associação Latino-americana de Suicidologia;

• Ex-Presidente da Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio;

• Mestre pela Université Louis Pasteur (França);

• PhD em Filosofia e Farmacologia (UFMG).

Vívian Zicker

• Membro da ABEPS (Associação Brasileira de Estudos e Prevenção de Suicídio),

• Representante no Brasil da Asulac (Associação de Suicidologia da América Latina e Caribe),

• Psicóloga do Programa de Saúde Mental da AMMP (Associação Mineira do Ministério Público),

• Moderadora do GAES na UFMG (Grupo de Apoio a Enlutados por Suicídio),

• Especialista em Psicoterapia Cognitivas pela UFMG.

próximo artigoPrefeitura de Ipatinga coloca em prática projeto-piloto de programa de limpeza pública
Artigo seguinteIpatinga e Santana do Paraíso firmam parceria para duplicar via de ligação entre municípios

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here