A amnésia é caracterizada pela perda da memória recente ou antiga. Acontece de forma total ou parcial, pode durar alguns minutos ou horas e pode ser permanente ou desaparecer sem tratamento. Ela é retrógrada, quando não se lembra de coisas mais antigas ou anterógrada, quando a perda da memória ocorre após o evento responsável pela perda da memória. Neste caso, há uma dificuldade maior para construir novas memórias. A amnésia pode ser desencadeada por acidentes, quando ocorre uma pancada forte na cabeça, por exemplo, ou ser consequência do uso de medicamentos, infecções crônicas, doenças neuronais ou presença de tumor no cérebro. Pode ser classificada em:

1. Global transitória, quando há perda súbita da memória durante poucas horas e há recuperação total após cerca de 24 horas;

2. Psicogênica, é transitória e acontece como consequência de algum trauma psicológico;

3. Síndrome de Wernicke-Korsakof, que ocorre principalmente em pessoas com desnutrição ou que fazem uso recorrente de bebidas alcoólicas. Caracteriza-se pela carência de vitamina B1, o que causa um estado de confusão mental aguda e amnésia mais prolongada. Ademais, ocasiona uma marcha instável e paralisa os movimentos oculares, causando visão dupla, confusão mental e sonolência;

4. Alcoólica, quando há déficit de memória sem que ocorra a perda da consciência. A pessoa continua falando e se movimentando, mas ao passar o efeito da bebida, ela não se lembra do que fez quando estava alcoolizada.

Quando se nota uma perda da memória, ainda que transitória, é importante consultar um neurologista, que identificará as possíveis causas, que em geral são: 

• Traumatismo craniano;

• Uso recorrente de alguns medicamentos sem indicação médica, como anfotericina B ou lítio;

• Carências vitamínicas, especialmente de tiamina;

• Uso de certos medicamentos (como alguns antidepressivos, relaxantes musculares ou opioides, bem como a anfotericina B ou lítio);

• Alcoolismo;

• Estresse mental grave;

• Encefalite hepática

• Acidente Vascular Cerebral (AVC);

• Infecção cerebral;

• Convulsões;

• Tumor cerebral;

• Doença de Alzheimer e outras demências;

• Falta de oxigênio (hipóxia);

• Alterações e traumas psicológicos.

O tratamento depende da causa e da gravidade. Até o momento, não existem medicamentos que possam curar, mas o tratamento pode ser direcionado para tratar as doenças que acompanham a amnésia, como infecções, tumores ou reposição vitamínica. Na maior parte dos caso, recomenda-se acompanhamento psicológico e reabilitação cognitiva, para que se aprenda a lidar com a perda da memória e se estimule outros tipos de memória para compensar o que foi perdido.

próximo artigoBanco Central baixa novas regras para grupos de consórcios
Artigo seguinteAlta temporada aquece movimentação no BH Airport