Fábrica de celulose pode responder civil e criminalmente por emissão de gás

Foram sete horas de emissão de gases não condensáveis (GNC – mercaptanas) na atmosfera, no dia 11 de fevereiro, pela fábrica de celulose Cenibra, instalada em Belo Oriente. O vazamento foi a causa do mau cheiro que se espalhou pela região na semana passada. A empresa confirmou a falha ao Núcleo de Emergências Ambientais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Polícia Militar de Meio Ambiente.

Em entrevista coletiva à imprensa nesta quarta-feira, representantes dos dois órgãos explicaram quais serão os próximos procedimentos adotados em relação à fábrica de celulose.

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA CENIBRA

Em relação à nota de esclarecimento publicada pela CENIBRA no dia 12 de fevereiro, relativa aos odores percebidos no Vale do Aço na noite anterior, a Empresa comunica que, naquele momento, não havia detectado nenhuma anormalidade em seu processo produtivo e, prontamente, colocou-se à disposição das autoridades competentes. A partir da constatação da condição atípica de percepção de odor pela população, iniciou-se uma rigorosa apuração, conduzida por técnicos especializados da Empresa, que detectou um acionamento do sistema de segurança de queima de gases não condensáveis (GNC – mercaptanas). Este sistema existe para evitar riscos a pessoas e equipamentos.

Tão logo identificada a ocorrência, a CENIBRA informou o fato ao Ministério Público Estadual, à Polícia Militar Ambiental e ao Núcleo de Emergências Ambientais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente. Os aspectos meteorológicos do dia, com predomínio de vento no sentido Governador Valadares–Ipatinga, podem ter potencializado a percepção de odores diversos pela população.

Vale ressaltar que, no Vale do Aço, não existe sistema de monitoramento da qualidade do ar capaz de detectar tal condição. A Empresa ressalta que, pelas características do referido gás produzido no processo, não há risco ou perigo de danos à saúde da população, mas apenas desconforto relacionado ao odor.

A CENIBRA iniciou a contratação de um estudo com consultoria especializada, a fim de avaliar e compreender a dinâmica de dispersão dos gases em diferentes condições atmosféricas em sua região de abrangência. O estudo será um balizador para evolução do sistema de monitoramento. A CENIBRA reafirma que monitora continuamente seu processo produtivo e cumpre com transparência todas as normas e os padrões exigidos pela legislação e pelas licenças ambientais vigentes.