Zema prioriza ajuda humanitária, confirma obras e pede que pessoas deixem áreas de risco

O governador de Minas, Romeu Zema (Novo), afirmou neste domingo (26) que a ajuda humanitária é a prioridade nas medidas para atenuar os efeitos das fortes chuvas que atingiram o Estado nos últimos dias. O chefe do executivo mineiro participou de uma reunião com o Ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD); o Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Coronel Alexandre Lucas; e com vários chefes dos municípios que vêm sofrendo com os efeitos das chuvas.

Antes do encontro, o governador sobrevoou as áreas mais atingidas. Ao retornar ao hangar do governo de Minas, no aeroporto do Pampulha, Romeu Zema afirmou que obras de infraestrutura serão realizadas, mas que os esforços no momento são para atender as vítimas das enchentes, alagamentos e deslizamentos.

“Obras de infraestrutura deverão ser feitas assim que o tempo possibilitar, principalmente aquelas que estão impedindo algum tipo de acesso. A nossa prioridade no momento é a ajuda humanitária. Já disponibilizamos toda a estrutura da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, todas as unidades hoje estão disponíveis para receber mantimentos não perecíveis, produtos de limpeza, de higiene pessoal e também colchões e lençóis. Porque no Estado hoje nós já temos milhares de desalojados e desabrigados. Muitos já foram atendidos, mas muitos ainda estão à espera desse atendimento.

Zema também indicou os próximos passos que serão tomados junto ao Governo Federal e garantiu empenho para a celeridade no repasse dos recursos.  

“A grande prioridade no momento é estar ajudando essas pessoas. Assim que o tempo melhoras e os danos forem levantados, não vamos dar prosseguimento com essa reparação. O próprio Ministério do Desenvolvimento Regional já vai estar recebendo a partir dessa semana, das próprias prefeituras e da nossa Secretaria de Infraestrutura aquilo que já há de danos, com mais detalhes, para que ele (Ministro) possa estar separando alguma verba para que essas obras sejam feitas com mais agilidade possível’.

Áreas de risco

Zema também revelou a preocupação com as pessoas que ainda estão localizada em locais com grande perigo de desabamentos e deslizamentos.

“O que nós estamos fazendo é retirar, priorizando as áreas de maior risco. Há áreas em que qualquer chuva maior pode ocasionar um deslizamento. Inclusive, muitas das vítimas que tivemos na semana foram porque não obedeceram a aquilo que foi orientado pelo Corpo de Bombeiros e pela Defesa Civil. Uma das famílias, em que perdemos quatro pessoas, chegaram a desocupar a residência e depois voltaram. Esse tipo de fato é que precisamos priorizar. Estamos pedindo para que as pessoas saiam das residências que oferecem alto risco em caso de chuvas, isso que temos solicitado”.