Vacinação contra pólio e sarampo atinge 54% da meta em Ipatinga

Restando poucos dias para o fim da campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite, apenas 54% do público-alvo foi imunizado em Ipatinga, o que faz com que o governo municipal continue conclamando os pais a levarem seus filhos aos postos. O Dia ‘D’ foi no último sábado (18), mas a imunização vem sendo feita desde o dia 6 e prossegue até 31 de agosto. Até o momento, foram aplicadas 6.535 doses da vacina contra a pólio e 6.931 contra o sarampo. As informações são do Departamento de Vigilância em Saúde (Devs) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Diante do aumento no número de casos de sarampo no país, principalmente na região Norte, a campanha de vacinação deste ano é indiscriminada. Ou seja, até mesmo crianças que já completaram o esquema de vacinação devem ir aos postos de saúde para receberem uma dose de reforço contra a doença. O objetivo é vacinar pelo menos 95% das 12.374 crianças do município.

De acordo com a diretora do Devs, Mara Fernanda Alves, resta a ser vacinado 41% do público-alvo. “Até o dia 26 de agosto a expectativa é atingir ao menos 78% de cobertura vacinal. De 27 a 31, a possibilidade é de atingirmos a nossa meta, que é de 95% do público-alvo”, explica Mara.

A diretora ainda explica que as doses das vacinas foram enviadas pelo Estado em número limitado, o que obriga a priorização do público-alvo. Para os adultos, há uma quantidade mínima a ser oferecida. “A remessa que o Estado fez para atendimento ao grupo adulto não atende a nossa demanda. Mas já existe uma promessa de que a partir do próximo mês o governo envie as doses para contemplar esta parcela da população”, esclarece.

Dia D

A expectativa era fechar o Dia ‘D’ com uma cobertura vacinal de 62% das crianças com idade entre 12 meses e cinco anos incompletos. A meta estipulada para a campanha inteira é vacinar 11.755 crianças, ou seja, 95% do público-alvo.

O Dia ‘D’ na Unidade de Saúde do Parque das Águas foi estimulado com vários atrativos. Havia guloseimas como algodão-doce e pipoca, brincadeiras, pula-pula e piscina de bolinhas. O prefeito Nardyello Rocha também se dirigiu à unidade para vacinar a filha Ana, de três anos de idade. Ele lembrou que o Dia ‘D’ é também um momento de reflexão diante do mito de que no Brasil não existe a paralisia infantil.

Embora o país não registre casos da doença desde 1989, a baixa cobertura vacinal abre caminho para uma possível volta da doença, que ainda não foi erradicada no mundo. Em junho, um caso suspeito de poliomielite foi notificado na Venezuela. Apesar de a doença ter sido descartada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o “susto” serviu de alerta para o Brasil.

“A doença ainda é uma ameaça, isto é fato. Ela está erradicada no país, mas pode voltar a qualquer momento se formos negligentes. Então precisamos cuidar e não deixar de vacinar. O sarampo, que já está matando no Norte do Brasil, também está chegando perigosamente à nossa região. Você que não fez a vacinação do seu filho até o dia 18, tem até o dia 31 para fazer isso”, lembra o prefeito.

O gestor municipal ainda frisou a necessidade de levar o cartão de vacina no momento da vacinação. A partir de 2019, o documento em dia será cobrado no ato da matrícula escolar. “No próximo ano, nós seremos mais rigorosos. A gente sabe que o documento já é exigido, mas não existe uma preocupação muito grande se ele está atualizado. Estamos no meio do ano, e ainda dá tempo, mas saibam que para o ano que vem iremos exigir essa atualização”, adiantou.

Serviço

Quem perdeu o Dia ‘D’ da vacinação pode procurar qualquer sala de vacinação de 17 unidades de saúde da cidade, de 7h30 às 15h30. A Secretaria de Saúde amplia o serviço para o programa Corujão da Saúde. Nos postos dos bairros Bethânia, Veneza, Cidade Nobre (UISA) e Bom Jardim o atendimento será feito até às 20h30.