A Usiminas divulgou nesta quarta-feira, dia 27 de março, o seu Plano de Descarbonização. A iniciativa é parte da agenda ESG (meio-ambiente, social e governança, da sigla em inglês) da companhia e busca reduzir a intensidade das emissões de gases de efeito estufa nas operações da empresa. O plano prevê uma redução de 15%, até 2030, na intensidade* de emissões por tonelada de aço bruto produzido, considerando 2019 como ano base.

A Usiminas estruturou o plano de descarbonização em quatro grandes eixos de atuação. O principal, já em andamento, é a eficiência energética. Nesse pilar, o destaque é a reforma do Alto-Forno 3, o maior da empresa, concluída no final de 2023. A renovação total do equipamento já vem trazendo ganhos no consumo de combustíveis e de produtividade, possibilitando redução de emissões de CO2.

Ainda dentro do eixo de eficiência energética, a empresa seguirá promovendo o melhor aproveitamento dos gases do processo siderúrgico, como combustível, e avançando na gestão do consumo energético global em todas as operações, reduzindo perdas e otimizando processos.

Os outros eixos preveem a otimização do mix de matérias primas dos processos, com aumento da utilização de sucata metálica na fabricação do aço; aplicação de biomassa em substituição parcial ao carvão e coque siderúrgico e maior utilização de energia renovável.

“A descarbonização não é apenas uma prioridade ambiental, mas também uma oportunidade para impulsionar a inovação, a competitividade e o crescimento sustentável de longo prazo”, destaca Marcelo Chara, Presidente da Usiminas.

próximo artigoAtlético x Cruzeiro: Milito pode reencontrar como rival antigo companheiro
Artigo seguinteTrem carregado com chocolates transforma a Páscoa de aproximadamente mil crianças

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here