O prefeito Gustavo Nunes visitou a Central de Vacina que recebeu novas câmaras refrigeradas, computadores e móveis

Ipatinga está celebrando mais um marco na área da saúde, com a renovação da Central de Vacinas e a chegada de novos equipamentos de última geração, informou nesta terça-feira (27) a administração municipal. A iniciativa vai fortalecer o sistema de imunização, proporcionando maior qualidade, eficiência e segurança no atendimento à população.

A Central de Vacinas recebeu uma revitalização completa, incluindo a instalação de computadores e novos móveis de escritório, proporcionando um ambiente mais adequado para os profissionais que atuam no local.

Para aprimorar o controle e a segurança dos imunobiológicos, foram recebidas ainda nove câmaras refrigeradas destinadas ao armazenamento e conservação desses importantes insumos. Adicionalmente, 20 câmaras refrigeradas portáteis foram adquiridas para serem utilizadas em ações de vacinação extramuros.

O prefeito Gustavo Nunes destaca a importância desses novos equipamentos, afirmando: “A chegada das câmaras refrigeradas representa um avanço significativo em nossa capacidade de fornecer vacinas com qualidade e segurança. Essa renovação não apenas beneficia os usuários, garantindo a eficácia dos imunobiológicos, mas também oferece maior tranquilidade aos profissionais de saúde durante as ações de vacinação”.

Central de vacinas como pilar da imunização

As câmaras refrigeradas permitem o controle específico da temperatura dos imunobiológicos, assegurando a preservação de suas propriedades biológicas e terapêuticas. Isso não só oferece segurança ao profissional de saúde, mas também confiança à população em receber vacinas de qualidade.

Além de armazenar e distribuir vacinas e soros para as unidades de saúde, hospitais (HMC e HMEM) e a UPA, a Central de Vacinas desempenha papel crucial na capacitação de servidores e na organização de campanhas de vacinação para a comunidade.

De acordo com o secretário de Saúde de Ipatinga, Walisson Medeiros, os imunobiológicos termolábeis, sensíveis à luz e variações de temperatura, são tratados com o máximo cuidado na chamada Rede de Frio. “Esta rede regulamenta e financia processos que envolvem a Cadeia do Frio, assegurando a manutenção da qualidade e segurança dos produtos, desde o laboratório até a administração ao paciente”, esclarece.

próximo artigoLula diz que ato de Bolsonaro foi ‘grande’, mas ‘em defesa do golpe’
Artigo seguintePolícia Civil do Rio faz ação contra lavagem de dinheiro de milícia

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here