Santana do Paraíso: Prefeitura divulga resultado do último LIRAa de 2022

Município está em médio risco de infestação do mosquito Aedes Aegypti

A Prefeitura Municipal de Santana do Paraíso, por meio da Secretaria de Saúde, realizou do dia 17 a 21 de outubro o último Levantamento Rápido de Índices para o Aedes Aegypti (LIRAa) de 2022, que mostrou que o município está em médio risco de infestação. O resultado apontou dois dados: o Índice Predial (número de imóveis com focos) que ficou em 1,9%; e o Índice de Breteau (número de recipientes com focos) em 2,6%. 

Os bairros com maior índice de imóveis positivos são: Centro, São Jose, Veraneio, Jose fino, São Francisco, Residencial Paraíso (3,5%). O restante apresentou: Industrial. AABB, Residencial Bethânia (1,5%); Águas claras, Bom Pastor, Cidade Verde, Jardim Vitória, Parque Caravelas (1,5 %); Cidade Nova, Parque Veneza, Chácaras do Vale (1,1%). 

A maioria dos focos foi encontrada nas residências, tais como: recipiente com água para galinha e cachorro, vasinhos de plantas, baldes esquecidos com água, brinquedo no quintal, calhas, recipientes de desgelo de geladeira, latas, casca de ovo, tampinhas de garrafa, sacolas, etc. O desenvolvimento do mosquito até a forma adulta pode levar um período de 10 dias e vive durante 30 dias. Uma única fêmea produz de 60 a 120 ovos em cada ciclo reprodutivo e pode ter mais de três ciclos durante sua vida. Por isso, a eliminação de criadouros deve ser realizada pelo menos uma vez por semana.

A administração pede a colaboração dos moradores em receber os agentes de endemias, que fazem a visita e eliminam os possíveis recipientes que podem acumular água, e faz um apelo para que o munícipe tire em média 10 minutos por dia para averiguar os possíveis focos. “Não adianta os agentes fazerem seu trabalho de remoção e orientarem a população se o morador não fizer seu trabalho que é cuidar de seu quintal”, destacou a supervisora geral de Endemias, Maria Aparecida de Sousa. 

Foi realizado também o Levantamento de Índice do Aedes Aegypti (LIAa), que é feito em bairros com características rurais e distantes, como: Ipaba do Paraíso que ficou em 2,76% e Chácaras Paraíso com 6,78%. Bom Sucesso e Distrito Industrial não apresentaram positividade para o Aedes Aegypt.  

Balanços anteriores

Em junho (terceiro LIRAa), o município registrou 1,9% (Índice Predial) e 2,2% (Índice Breteau). Em abril (segundo LIRAa), os índices ficaram maiores (2,3% e 3,2%, respectivamente). E o primeiro levantamento ocorrido em janeiro mostrou 7,1%, o mais alto Índice Predial de infestação do mosquito no ano.

próximo artigoSecretaria de Saúde de Ipatinga inicia consultas para zerar fila de urgências
Artigo seguinteIpatinga dá sequência à revisão do Plano Diretor