A Referência técnica em Enfermagem da UPA de Ipatinga, Juliana Lopes, fala sobre a importância dos protocolos de Sepse (Foto: divulgação)

Após ser eleita, em agosto deste ano, juntamente com outras 60 Unidades de Pronto Atendimento do Brasil para participar de capacitações sobre identificação e tratamento de Sepse (infecção generalizada) no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, a UPA de Ipatinga deu início nesta semana a uma série de treinamentos sobre o assunto com seus profissionais. 

A ação coloca em evidência o trabalho de humanização desenvolvido no município na área da Saúde. Segundo estudos divulgados pelo Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa, as UPA’s no Brasil geralmente não possuem protocolos de atendimento adequados à Sepse. Por isso, são registrados cerca de 250 mil óbitos, por ano no Brasil, causados por infecções graves. 

Na terça-feira (23), enfermeiros, que atuam na unidade de urgência e emergência foram os primeiros profissionais a serem instruídos sobre as melhorias de processos que serão implantadas. Já na triagem, será possível identificar o paciente que chega com Sepse, visando agilizar cuidados e tratamento. 

(Foto: divulgação)

A previsão é alcançar os profissionais de todas as áreas da UPA, como médicos, farmacêuticos, técnicos de enfermagem, técnico em análise clínica, laboratório, que atuam em diversos turnos. 

Segundo a referência técnica de Enfermagem da UPA, Juliana Moraes Lopes, “um dos novos processos que já está sendo implementado na UPA será o NEWS, um protocolo que, junto ao de Manchester, fará a classificação de risco do paciente, além da investigação mais profunda sobre infecções generalizadas.”  

Entre as medidas de capacitação para o reconhecimento e tratamento precoces da Sepse, estão ainda o rastreamento da condição de casos suspeitos, a implementação de protocolo para administração precoce de antibióticos e o treinamento de equipe de alta performance capacitada para abordagem da Sepse. 

As capacitações sobre Sepse são ministradas a partir do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS), numa iniciativa do Ministério da Saúde.

próximo artigoSimulação de acidente alerta para os perigos do trânsito
Artigo seguinteSeminário discute avanço da coleta seletiva em Timóteo
0 0 votes
Classificação
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários