Ministério Público afirma que mau cheio foi provocado por gás de empresa de celulose

O forte odor que se espalhou pelas cidades do Vale do Aço e do colar metropolitano há uma semana foi causado pela emissão prolongada de um gás pela Cenibra. A informação foi divulgada pela 9ª Promotoria de Justiça, nessa terça-feira.

Em nota, o Ministério Público informa que foi detectada a emissão de gases mercaptanas (GNC – Gases Não Condensáveis – mercaptanas) pela empresa Cenibra, por um tempo maior que o usual, no dia 11 de fevereiro de 2020, no período de 16h às 23h30. Segundo informou a empresa, a emissão, que usualmente acontece apenas por alguns minutos, por causa de uma falha no sistema, ocorreu por mais de 7h. O evento detectado pela empresa, combinado com as condições meteorológicas de predomínio de vento nordeste, direção Governador Valadares-Ipatinga, é compatível com a ocorrência de odores desagradáveis registrada na noite de 11 de fevereiro de 2020.

Ainda segundo o Ministério Público, a exposição não prolongada a baixas concentrações de gases mercaptanas não tende a causar consequências graves à saúde. “No entanto, considerando as alterações causadas no estado de bem-estar físico, mental e social da população do Vale do Aço, e ainda em razão da poluição atmosférica, o Ministério Público buscará uma compensação junto à empresa pelos interesses difusos atingidos”. A nota esclarece também que empresa Cenibra informou ao Ministério Público que tem interesse em firmar acordo prevendo termos para o monitoramento de gases oriundos do seu processo produtivo, bem como compensação pela ocorrência de 11 de fevereiro de 2020.