Ipatinga recebe doses das vacinas Pentavalente e DTP

Ministério da Saúde orienta rede sobre procedimentos substitutivos, em decorrência da indisponibilidade da Pentavalente na rede pública do SUS

A chegada de 960 doses da vacina Pentavalente em Ipatinga ainda não foi suficiente para atender às necessidades de estoque da rede pública de saúde do município. Com isso, as unidades de saúde já começam a fazer a substituição temporária do produto pela vacina DTP (difteria, tétano e coqueluche), direcionada a crianças menores de um ano de idade. Foram entregues 1.000 doses da vacina alternativa e elas já estão disponíveis nos postos nesta sexta-feira (17).

A medida segue orientação da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), do Ministério da Saúde, em decorrência da indisponibilidade da Pentavalente na rede pública do Sistema Único de Saúde (SUS). A previsão é de que a distribuição da vacina Pentavalente seja normalizada em março.

A decisão da SVS de adotar um esquema temporário para a proteção das crianças menores de um ano de idade levou em consideração a situação epidemiológica da coqueluche no Brasil. Até dezembro de 2019, foram confirmados mais de 1.300 casos no País, distribuídos em praticamente todos os Estados.

De acordo com a Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI), como solução provisória nas crianças, uma das doses do esquema de imunização deve ser substituída por uma combinação da Vacina Adsorvida que protege contra difteria, tétano e coqueluche/pertussis (DTP) com o imunizante contra hepatite B (HB).

Esquema

Para crianças menores de um ano de idade com início de esquema (aos 2 meses), deve-se aplicar DTP + Hepatite B e complementar a segunda e terceira doses com a Penta. Em crianças que iniciaram o esquema com Penta, deve-se fazer a segunda dose com DTP + HB e complementar esquema (terceira dose) com Penta. Crianças com duas doses de Penta deverão complementar a terceira dose com uma dose de DTP + HB. Para todas as situações, o reforço com Penta aos 15 meses é recomendado.

Após a regularização dos estoques com a Vacina Pentavalente, a substituição deverá ser suspensa e a recomendação é seguir as normatizações técnicas com a referida vacina de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação definido pelo Programa Nacional de imunizações.

Proteção

A vacina Pentavalente é a combinação de cinco vacinas individuais em uma. Ela imuniza contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e a bactéria haemophilus influenzae tipo B, responsável por infecções no nariz, meninge e garganta. Faz parte do Programa Nacional de Imunizações (PNI) desde 2012. As crianças devem tomar três doses da vacina: aos dois, aos quatro e aos seis meses de vida.