Ipatinga recebe doação para auxiliar tratamento da Covid-19

O prefeito de Ipatinga, Gustavo Nunes, recebeu na tarde desta quinta-feira (22) representantes locais da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), que adquiriu e doou ao município seis capacetes de respiração artificial não invasiva para serem usados como alternativa no tratamento de pacientes com complicações respiratórias causadas pela Covid-19.

O equipamento atua como suporte ventilatório não invasivo. Ele é capaz de manter uma pressão positiva nas vias aéreas por meio da oferta de alto fluxo de oxigênio e ar medicinal. É colocado na cabeça do paciente e possui acesso para a entrada de oxigênio, permitindo que a respiração se dê com menor esforço. Além disso, há maior segurança para os profissionais de saúde, já que, por ser vedado, não permite a proliferação de partículas de vírus.

“Ficamos felizes com a doação e agradecemos a sensibilidade da instituição. Significa mais estrutura para a preservação de vidas em nosso município. Sem dúvida, o equipamento será muito importante em nosso sistema de saúde”, afirmou o prefeito Gustavo Nunes.

O secretário de Saúde de Ipatinga, Cleber de Faria, explica que de fato o capacete de oxigenação tem sido recomendado como um suporte respiratório não invasivo durante a pandemia de Covid-19. Em muitos casos, impede-se a evolução da doença, evitando a intubação.

“O capacete envolve a cabeça inteira do paciente e é selado com um colar hermético que envolve o pescoço, também evitando que o vírus se espalhe no ambiente e melhorando a troca de oxigênio, além de ser mais confortável para o paciente do que a máscara”, explicou o titular da pasta.

A entrega dos equipamentos foi feita pelo presidente da CDL/Ipatinga, Amaury Gonçalves, que estava acompanhado do presidente e do vice da Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Prestação de Serviços do município (Aciapi), Luís Henrique Alves e Wander Luís Silva, respectivamente.

CAPACETE RESPIRATÓRIO

A sua estrutura permite a formação de um ambiente com pressão positiva, enriquecido com oxigênio. A maior parte do seu material é constituída de PVC atóxico, e a membrana de vedação do pescoço é produzida com látex ou silicone, garantindo conforto e ajuste adequado para diferentes pacientes. Para fixação do produto na cabeça há duas alças de polipropileno com fechos ajustáveis e neoprene, que proporcionam segurança, conforto e facilitam a limpeza.

próximo artigoMinistro da Economia volta a defender reforma tributária ampla
Artigo seguinteBoletim Epidemiológico de Ipatinga 22/07