Prefeitura promove encontros com grupos culturais do município para detalhar formalidades acerca da Lei Paulo Gustavo e conhecer propostas de trabalho

A Prefeitura de Ipatinga, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer (Semcel), está programando uma série de ações a serem executadas neste mês com base na Lei Complementar nº 195, de 8 de julho de 2022. Estão previstos fóruns com a classe artística para a próxima sexta-feira (dia 17), 30 de março e também o dia 5 de abril, às 9h, no plenário da Câmara de Vereadores, com a finalidade de esclarecer os passos necessários para a implementação da Lei Paulo Gustavo na cidade. Os encontros servirão ainda para discutir e conhecer as propostas de trabalho dos artistas, envolvendo diversas áreas de produção de conteúdo.

Conforme explica a Semcel, nos próximos meses serão injetados R$ 3,8 bilhões no setor cultural brasileiro. E para o município de Ipatinga estão sendo destinados recursos de R$ 2.147.147,47.

“Através desta lei, poderemos utilizar o recurso para colocar em prática ações emergenciais destinadas ao setor cultural, que devem ser adotadas em decorrência dos efeitos econômicos e sociais da pandemia da Covid-19, bem como fortalecer a sustentabilidade das cadeias produtivas da região”, salienta o prefeito Gustavo Nunes.

Os fóruns com instituições e sociedade civil de diversos setores e regionais irão debater a necessidade de cada segmento e a aplicação do recurso a ser recebido.

Sobre a Lei Paulo Gustavo

A Lei Paulo Gustavo tem caráter de execução descentralizado, com repasses aos Estados e Municípios, restituindo ao setor cultural os recursos que estavam parados no Fundo Nacional de Cultura e Fundo Setorial Audiovisual. O nome do projeto homenageia o ator e humorista Paulo Gustavo, que morreu em maio de 2021, vítima da Covid-19.

“Essa lei representa uma conquista da cultura para ações emergenciais compensatórias dos efeitos econômicos que a pandemia causou. E o governo municipal se propõe a garantir que a aplicação da Lei Paulo Gustavo acontecerá com participação efetiva do Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC) e Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Artístico de Ipatinga (Comphai), de forma que a cadeia da cultura seja ouvida para uma aplicação justa e ágil dos recursos”, ressalta o titular da Semcel, Maciel Rodrigues.

próximo artigoEliminatórias para Copa de 2026: Brasil estreia contra Bolívia em casa
Artigo seguinteMunicípio de Ipatinga disponibiliza sede para Unidade de Prevenção à Criminalidade (UPC)