Ipatinga é primeira cidade de Minas a oferecer parquinho com brinquedos inclusivos

A Prefeitura Municipal de Ipatinga irá entregar à comunidade,no Parque Ipanema, na manhã desta terça-feira (12) data em que se é comemorado o dia das crianças, a primeira unidade de um moderno projeto de parques infantis adaptados a ser implantado em diversas regiões da cidade.Ipatinga será a primeira cidade de Minas Gerais a contar com brinquedos adaptados e que tem como objetivo promover a acessibilidade em praças públicas para crianças com necessidades especiais.

O antigo playground do Parque, que esteve interditado nos últimos dias e despertava muita curiosidade entre os frequentadores da área, foi revitalizado. A ideia original do novo parquinho, que é feito dentro da concepção do projeto ‘Duda Nalini’, vem do município de Ribeirão Preto, em São Paulo.

Ideia original

A criação tem esse nome em homenagem a Maria Eduarda Nalini, uma menina de 12 anos com necessidades especiais(portadora da síndrome de Dandy-Walker)que, antes dessa ideia, não brincava e ficava apenas contemplando o irmão mais novo (de oito anos) se divertindo, já que não conseguia se movimentar e os brinquedos não comportavam a cadeira de rodas dela. Isso mudou quando a mãe deles, Selma Nalini, teve a iniciativa de instalar balanços, gira-giras e gangorras adaptados para crianças com deficiência nas praças e parques de Ribeirão Preto (SP).

Em Ipatinga, a execução do playground inclusivo também tem a participação da iniciativa privada. O governo municipal contou com a parceria da fábrica Colchões Polar que doou os equipamentos, e apoio da clínica integrada Proevoluir. A unidade do Parque Ipanema servirá de modelo para outras instalações em praças e escolas de diversos bairros da cidade.Conforme a Prefeitura, serão instalados pelo menos seis equipamentosno município.

A mentora do projeto, Selma Nalini, explica: “O playground inclusivo é uma área interativa contendo balanço, gangorra, gira-gira, todos adaptados, por exemplo, para que uma criança de cadeira de rodas possa brincar sem se deslocar de seu equipamento. Dessa forma,crianças com dificuldades de mobilidade serão incluídas em seus momentos de lazer”. Ela ressalta ainda a importância de estimular crianças autistas e com outras condições neuroatípicas a utilizarem os brinquedos.

O parque especial também dispõe de uma área interativa com três painéis, contendo pictograma para comunicação alternativa, xilofone (um painel de som) e um jogo da velha sensorial (que permite que crianças com outras deficiências brinquem). 

Diversão para todos

O prefeito Gustavo Nunes salienta que sua administração “priorizaque essas experiências de lazer sejam vividas pelas crianças com necessidades especiais, que precisam e merecem não apenas estudar e aprender, mas também ter acessibilidade para brincar e se divertir. Vale ressaltar que o projeto do playground inclusivo abrange crianças com e sem deficiência, possibilitando que todas compartilhem momentos e brinquem juntas”, destaca o chefe do Executivo.

próximo artigo“A Tropalhada” Terceira Temporada – Episódio 01
Artigo seguinteAplicativo da Receita promete reunir diferentes serviços de acesso