Fabriciano realiza novo LIRAa para medir infestação do mosquito Aedes Aegypti

A Prefeitura de Coronel Fabriciano, por meio da Secretaria de Governança da Saúde, iniciou nesta semana um novo levantamento rápido do índice de larvas do mosquito Aedes Aegypti nas residências. O objetivo é identificar a infestação atual e adotar medidas de controle das arboviroses, Dengue, Zika e Chicungunya.

O trabalho é feito por amostragem e abrange toda a cidade. Em cada região, 20% dos imóveis são visitados pelos agentes de endemias. O trabalho dura 4 dias e o resultado sairá após o feriado de Finados.

A prefeitura está tranquila em relação ao controle dessas doenças na cidade, visto que o último LIRAa, feito em agosto, deu resultado abaixo do índice de alerta, 0,8%. O alerta é ligado quando a medição ultrapassa 3,2%. Os bons números são fruto de um trabalho intenso feito pelo município para evitar a proliferação do mosquito. Além do controle focal nas áreas de maior infestação, com fumaçê e mutirões de limpeza, a prefeitura promoveu este ano uma gincana focada no combate ao mosquito com mais de 3 mil integrantes do Programa Mexa-se. A ação resultou no recolhimento de mais de 400 mil inservíveis que poderiam servir de criatório do mosquito.

O Secretário de Governança da Saúde, Ricardo Cacau, lembra que o município tem um planejamento anual para combater as arboviroses. “A secretaria não descansa não! Durante todo o ano, nós temos ações de combate ao mosquito e realizamos 4 levantamentos (LIRAa) anuais. Assim nós temos o controle mês a mês e agimos conforme a emergência. Vivemos numa região endêmica e, por isso, precisamos estar atentos o tempo todo para não deixar a nossa população adoecer”, disse.

O LIRAa desta semana é o 4º. do ano e, portanto, o último de 2022. Este levantamento é considerado um dos mais importantes já que ocorre no início do período chuvoso, que vai até março. Nesta época, o volume frequente de chuvas intercaladas com períodos de sol, forma ambiente propício para o mosquito procriar, e qualquer objeto serve de criatório.

A Gerente de Vigilância em Saúde, Vânia Tavares, faz um alerta: “É hora de dar uma faxina nos quintais e terrenos perto de casa, mesmo que sejam de propriedade do vizinho. Recolha tudo que armazena água. Olhe também para o seu imóvel e verifique as calhas. Se as calhas estiverem sujas vão reter a água da chuva e trazer a doença para dentro de casa. Façam a limpeza das calhas agora para que a a água da chuva escorra para as redes fluviais sem formar poças no telhado”, pede Vânia.

próximo artigoHomem esfaqueia o sobrinho em Fabriciano
Artigo seguinteCemitérios de Ipatinga são preparados para o Dia de Finados