Escola de Música e Canto Tenente Osvaldo Machado celebra 24 anos de atividade

Uma noite especial para celebrar uma data marcante. A Escola de Música e Canto Tenente Osvaldo Machado (TOM), ligada à Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer de Ipatinga, comemorou na última segunda-feira (20), em sua sede no bairro Veneza, o 24º aniversário. Ao som do Coral TOM, da orquestra do Projeto E. M. Cantar e do Coral Infanto-juvenil, o público presente se emocionou com as canções apresentadas como “Hallelujah”, de Leonard Cohen. Mais de 100 alunos se apresentaram nos números musicais.

Segundo a gerente da Escola TOM, Neuza Bento Valentim, “desde a sua fundação, em agosto de 1994, o espaço vem oportunizando acesso à educação musical a centenas de pessoas em Ipatinga, especialmente alunos da rede pública de ensino”.

Casamento que deu certo
“A parceria com a Secretaria Municipal de Educação, por meio do projeto E. M. Cantar, também tem sido fundamental para o alcance e a aproximação da música do público mais carente do município”, destacou Neuza.

Atualmente, as aulas de canto para coral, realizadas na sede da TOM, são ministradas por professores do projeto E. M. Cantar. Toda segunda-feira, de 18h30 às 20h, mais de 70 alunos/coristas comparecem às sessões de ensino na rua Nova Hamburgo, nº 140, no bairro Veneza I.

Já no ginásio Ely Amâncio, do Centro Cultural e Esportivo 7 de Outubro, no bairro Veneza, a TOM oferece a outros 70 alunos aulas de percussão com o professor Joel Mariano, também do projeto E. M. Cantar. As aulas são oferecidas aos sábados, nos horários de 8h às 9h30 e de 9h35 às 11h.

tom

A diretora Lucilene Ramos e Arthur Fernandez, um dos primeiros alunos da TOM na Escola Márcio de Andrade Guerra

Memória viva
Presente também no evento, a diretora Lucilene Ramos se lembrou de quando a TOM iniciou suas atividades na Escola Municipal Márcio de Andrade Guerra, no bairro Veneza II.

“Nós tínhamos duas realidades que precisavam ser convergidas neste grandioso projeto de música. Tínhamos alunos ociosos, que estavam na rua e a criminalidade crescendo. E, nós tínhamos também flautas e violões que já haviam sido adquiridos pela escola. Então, nós juntamos essas duas coisas. E eu vi que o recreio passou a ser o horário de ensaio da meninada. Quarenta crianças começaram a estudar teoria, flauta e violão e, com o tempo, conseguimos mais verba para fazer o 1º Festival de Música, até expandirmos e os alunos formarem uma banda. É muito gratificante ver hoje centenas de alunos, em toda cidade, tendo a oportunidade de crescer e se desenvolver por meio da música”, comemorou.

Arthur Fernandez (16) foi um dos alunos na Escola Márcio Guerra beneficiados pelas aulas de teoria e flauta, no período narrado pela diretora Lucilene. “Ele foi um dos primeiros daquela época a começar os estudos de música. Hoje já está trabalhando pra se tornar maestro”, destacou a diretora ao vê-lo reger a Orquestra E. M. Cantar durante as comemorações da Escola TOM.

tom

‘Eu tive que ter muita paciência e perseverança pra não desistir’, declarou Arthur, que durante o evento de aniversário regeu o coral da TOM

Ao relembrar o período em que iniciou os estudos, Arthur comentou que “foi muito difícil porque a teoria musical não foi algo simples de aprender. Eu tive que ter muita paciência e perseverança pra não desistir. Além disso, assim como a maioria dos meus colegas de música, eu também não tinha sequer o instrumento próprio para poder treinar em casa. Mas, a partir da minha dedicação e aprendizado eu vi portas sendo abertas para que começasse a tocar em casamentos e pudesse até ajudar minha mãe com as despesas de casa. A música me ajudou a melhorar meu vocabulário, a aprender a importância de assumir responsabilidades e cumprir com meus compromissos”, destacou. Hoje, o sonho de Arthur é poder fazer parte da Orquestra Sinfônica de Belo Horizonte.

Entre outros convidados, marcaram presença no evento os maestros Mariano Melo e Jairo Lopes da Silva, fundadores da Escola de Música e Canto Tenente Osvaldo Machado, em 1994.

Os interessados em participar do curso de percussão devem se dirigir à sede da TOM, das 8h às 11h e das 14h às 17h. Os pré-requisitos são: ter idade de 7 a 16 anos e estar regularmente matriculado em qualquer escola de Ipatinga.