O antigo trecho urbano da BR-381 ficou parcialmente interditado após a queda de rochas no distrito de Cachoeira do Vale no final de 2021

Vinte e seis meses após a queda de pedaços de rochas que se desprenderam de um maciço granítico no distrito de Cachoeira do Vale, provocando a obstrução do antigo trecho urbano da BR-381 em Timóteo, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) anunciou o início dos reparos para a primeira quinzena de fevereiro.

No fim da tarde de quarta-feira (10) o prefeito de Timóteo Douglas Willkys recebeu do engenheiro do DNIT Alexandre Oliveira a informação de que o trecho da Avenida Belo Horizonte (antigo trecho urbano da BR-381 em Cacheira do Vale) será restaurado, após a licitação que definiu a empresa LCM Construção e Comércio para fazer a manutenção e reparos do trecho mencionado. Também estavam presentes nesse encontro os técnicos das Secretarias de Planejamento e de Obras e o vereador Beto do Estofamento.

Está prevista a recuperação de seis quilômetros de asfalto entre a entrada do distrito de Cachoeira do Vale, vindo de Belo Horizonte, até o trevo Sinergia, na antiga ponte de acesso a Coronel Fabriciano. “Fico feliz em informar que finalmente o DNIT vai recuperar o trecho e beneficiar não só os moradores dos bairros Santa Rita, Petrópolis e o distrito de Cachoeira do Vale, mas também a todo o Vale do Aço, haja vista que essa é uma importante alternativa de acesso à Região Metropolitana”, citou o prefeito Douglas Willkys, que recebeu o engenheiro da DNIT no local em que as pedras se desprenderam no distrito de Cachoeira do Vale.

De acordo com o engenheiro Alexandre Oliveira o objetivo é restabelecer as condições viárias e toda a trafegabilidade da Avenida Belo Horizonte, bem como promover melhorias na ciclovia. A previsão da obra é de seis meses e após a sua conclusão existe ainda a possibilidade de o trecho da antiga rodovia, que é federal, ser municipalizado.

Entenda

No dia 11 de novembro de 2021, em consequência das fortes chuvas que caíram no Vale do Aço, pedaços de rochas se soltaram do maciço rochoso se soltaram interditando totalmente a rodovia. A partir daí começou uma verdadeira “via crucis” da gestão municipal para não só remover os pedaços de granitos como para liberar totalmente a pista de rolamento. O prefeito Douglas Willkys se reuniu por diversas vezes com os representantes do DNIT tanto em Belo Horizonte como em Brasília para cobrar uma solução para o problema.

Ainda no final de 2021 e sem contrato de manutenção da rodovia, no trecho relacionado à Timóteo, o DNIT autorizou o Município a promover a limpeza e desobstrução parcial do trecho em uma faixa de domínio que pertence à União em face dos “enormes transtornos que a interrupção do tráfego ocasionou ao município e região”. O Município promoveu a remoção das rochas e do material arenoso que se encontrava na Avenida Belo Horizonte, fez a limpeza e improvisou um desvio para liberar a via. A partir daí teve início uma série de gestões do prefeito Douglas junto ao governo federal para que a obra fosse viabilizada, o que de fato ocorreu nesse início de ano.

próximo artigoPolícia Civil de Minas Gerais prende autor de cyberstalking em flagrante na cidade de ipatinga
Artigo seguinteMísseis russos atingem hotel na Ucrânia e deixam 10 feridos