“Consultório na Rua” oferece cuidados em saúde a pessoas em situação de rua

Violência, alimentação incerta, higienização comprometida, vínculos familiares interrompidos ou fragilizados e, em muitos casos, dependência química. Estas são algumas das condições tristes e desfavoráveis de quem vive nas ruas, em razão das mais diferentes causas. Assim é que tem sido muito importante, em Ipatinga, a atuação do “Consultório na Rua”, programa de saúde pública implantado pelo governo Federal e implementado no município pela Prefeitura, buscando um olhar sensível e humanizado no atendimento a este público.

O “Consultório na Rua” faz parte da Política Nacional de Atenção Básica (PNAB). A estratégia leva assistência em saúde às pessoas em situação de rua em todos os ciclos de vida. A rotina do trabalho exige dos profissionais mobilizados o exercício do acolhimento individual de cada usuário, usando os recursos dos serviços disponíveis, tanto em saúde quanto em proteção social.

Todos os dias, equipes da Atenção Básica saem às ruas para oferecer atendimento a esse público, levando em conta a rua como causa ou consequência de problemas de saúde. A compreensão do contexto de saúde de cada pessoa atendida é um desafio diário dos profissionais que integram as equipes de “Consultório na Rua”.

Atendimento, encaminhamentos e acompanhamento

Com foco em pessoas portadoras de agravos em saúde decorrentes ou não de  uso abusivo de substâncias psicoativas.  O programa oferece também cuidados básicos no próprio espaço da rua. A equipe multiprofissional do programa realiza, quando necessário, encaminhamentos para os demais serviços disponibilizados pela rede socioassistencial. O projeto atende as pessoas que vivem à margem do acesso à saúde.

“A realidade das pessoas em situação de rua é a luta diária contra a violência e a fome. Somos a porta de entrada dessas pessoas ao atendimento da saúde. Muitos apresentam doenças de pele, feridas, hipertensão, diabetes e outros agravos. Sozinhos, não iriam a uma unidade de saúde, por medo do preconceito e rejeição”, explica a enfermeira e Referência Técnica da equipe  Maria Aparecida Oliveira da Silva.

Atualmente, o “Consultório na Rua” atende mais de 300 pessoas em situação de rua em diversos pontos de vulnerabilidade social identificados pela equipe do programa. Os atendimentos acontecem de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h, em pontos mapeados pelas equipes ou pautados pelo território. O prefeito Gustavo Nunes destaca que outro fator importante é fazer com que as pessoas deixem a condição de rua por meio da evolução do trabalho. “Tanto no sentido de deixarem o uso de drogas como garantindo o acesso à saúde para que sejam reinseridos na sociedade e voltem à família. O trabalho mostra resultados neste sentido, possibilitando oferecer mais qualidade de vida a este público”, conclui o chefe do Executivo.

próximo artigoNovo valor de tarifa de ônibus entra em vigor à 0h desta segunda-feira, 27, em Fabriciano
Artigo seguinteÀ lá primeiro-ministro, Arthur Lira se torna importante negociador do governo