Diante do preocupante quadro de agravamento da pandemia do coronavírus não apenas no município, mas em toda a região, o prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha, antecipou neste sábado (30) que já solicitou para a próxima segunda-feira (1/6) a convocação de uma reunião extraordinária do Comitê Gestor de Crise, a fim de reavaliar a decisão de funcionamento de diversos segmentos do comércio mesmo em horários e dias restritos. Com a confirmação do terceiro óbito pela doença, na cidade, seguindo-se ao registro de um total de 220 casos positivos, conforme boletim epidemiológico divulgado ainda na noite de sexta-feira (29), ele adiantou que sua recomendação será pela suspensão de todas as atividades comerciais, com exceção dos estabelecimentos considerados essenciais, como farmácias, padarias, postos de combustíveis e supermercados.

“Além dos três óbitos já confirmados em Ipatinga – ponderou o chefe do Executivo –, temos outro em Timóteo, mais dois em Santana do Paraíso e ainda um envolvendo um morador de Açucena, sem contar que em Governador Valadares, distante apenas 100 quilômetros de nós, até sexta-feira a soma era de 12 mortos e mais cinco suspeitos em investigação”.

Para o prefeito, “diante desse delicado cenário, o mais recomendável e prudente seria que todas as cidades da Região Metropolitana suspendessem imediata e uniformemente, por decreto, as autorizações para funcionamento dos diversos segmentos do comércio, como forma de interromper de maneira radical a movimentação de pessoas pelas ruas e conter a onda de contágio. Esta, aliás, foi a tese que defendemos desde o início. Mas, infelizmente, não houve consenso. Sem querer induzir qualquer tomada de posição, já que obviamente cada gestor tem autonomia e a prerrogativa de agir como melhor lhe parecer dentro dos seus limites, entendo que esta seria a medida mais eficaz no momento para impedir a propagação da doença inclusive com seus sintomas mais graves, situação que torna insuficientes os leitos de UTI”, argumentou.

Nardyello lembrou: “Há pouco mais de dois meses, quando tomamos a decisão de fechar o comércio antes de todos os outros municípios, fomos muito criticados, alvos até mesmo de rasteiras politicagens, mas foi isso que conteve por um bom período a curva de ascensão da Covid-19 em nossa área de atuação. Em atendimento a inúmeros apelos e também levando em consideração taxas favoráveis de ocupação dos leitos, mais adiante flexibilizamos as atividades mercantis para oxigenar um pouco a economia (embora o delivery já estivesse autorizado). Contudo, agora não há como transigir. São muitos sinais de alerta acesos”, conclui.

próximo artigoTrip Du Luthi no encontro de Highline em Barão de Cocais
Artigo seguinteAberto o edital para obras do Aeroporto Regional do Vale do Aço