Cebus devolve mais um animal à natureza

O Centro de Biodiversidade da Usipa (Cebus) devolveu mais um animal silvestre à natureza. Um Puma yagouaroundi, popularmente conhecido como gato do mato, capturado em área urbana recentemente, já está novamente em seu habitat natural. Acompanhada da Polícia Militar Ambiental, a equipe do Cebus realizou a soltura em local não divulgado para a segurança do próprio animal.

O animal resgatado é um jovem adulto, em boas condições de saúde e que, provavelmente, chegou ao ambiente urbano por causa da destruição de seu habitat. O médico-veterinário Lélio Costa e Silva, responsável técnico pelo Cebus, explica que o gato do mato é classificado pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) como “pouco preocupante”, mas a destruição de habitats é a principal causa de ameaça.

“Embora seja pensado ser em geral mais resistentes à perturbação humana, a perda de habitats tem um impacto negativo sobre a sua probabilidade de ocorrência. Além disso, o pequeno conhecimento sobre a biologia desta espécie, limita a possibilidade de estratégias de conservação eficazes e é classificada pela pelo IBAMA como ameaçado de extinção”, ressalta o médico-veterinário.

Jacaré capturado em piscina passa bem

O filhote de jacaré capturado na piscina de um sítio em Coronel Fabriciano foi trazido para o Cebus na tarde da última quinta-feira (23). De acordo com Lélio Costa e Silva, trata-se de um Caiman latirostris, popularmente conhecido como jacaré de papo amarelo, espécie típica da região.

Segundo o médico-veterinário, o animal faz parte da lista de espécies em extinção. Lélio estima que o jacaré tenha, no máximo, 4 meses e deve ficar no Cebus até ganhar um pouco mais de peso para ser devolvido à natureza.

“A biometria, que é a medição e pesagem do animal, e checagem do sexo, não serão feitas neste primeiro momento. Agora, nossa missão é reduzir o estresse do animal e devolvê-lo, tão logo seja possível, à natureza”, relata o responsável técnico.

Os animais acolhidos e devolvidos à natureza fazem parte do Programa de Reabilitação da Fauna Sem Lar, desenvolvido em parceria com Associação Regional de Proteção Ambiental do Vale do Aço (ARPAVA), o Instituto Estadual de Florestas (IEF), a Policia Militar Ambiental e a Usiminas. Pelo programa, os animais são recebidos, tratados, reabilitados e encaminhados para a soltura, sempre orientada e acompanhada pelo IEF.