No lote 7 da BR-381 , imagens do novo Trevo de Itabira, em construção. Foto: divulgação

A expectativa de décadas, aos poucos está se tornando realidade em relação à obra de modernização e duplicação da BR-381. Embora os imbróglios burocráticos e financeiros sinalizam os transtornos de uma obra com diversos momentos de interrupção, como o que aconteceu em 2013 com os lotes 1 (entre Governador Valadares e Belo Oriente) e 2 (entre Belo Oriente e Jaguaraçu). Na época os dois lotes foram licitados, mas a empresa Isolux, então vencedora no processo, não executou a obra. Só em julho deste ano o contrato foi rescindido, após a judicialização por parte do Departamento de Infraestrutura Rodoviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Segundo a diretoria do DNIT, o próximo passo é a contratação da segunda colocada, assim que todos os documentos exigidos forem apresentados, a nova poderá executar os projetos dos dois lotes, que devem conter a restauração e instalação de pavimento, adequação em alguns pontos, melhorias em intercessões com outras rodovias e inclusão de nova sinalização.

Enquanto isso, as obras nos lotes 3.1 (entre Jaguaraçu e o Ribeirão Prainha) e 7 (entre Rio Una e Caeté) seguem sem interrupções. Recentemente o viaduto de 600 metros que fica em Caeté, Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi concluído. Este viaduto, que está no lote 7, acaba com uma das curvas existentes no trajeto entre Belo Horizonte e Governador Valadares, na região leste de Minas Gerais, trazendo mais segurança para os usuários da via.

No mesmo trecho também foram entregues, 3 Km de pista duplicada em pavimento de concreto. Esse tipo de material garante uma vida útil maior e possui manutenção mais barata. Além disso, há previsão de entrega ainda em 2018 da pista duplicada no trecho entre os municípios de Barão de Cocais e Itabira. Em 2019, conforme previsão do DNIT serão entregues as intercessões das cidades de Bom Jesus do Amparo e Nova União.

Em relação ao lote 3, que também está em obras, houve uma divisão. Os lotes 3.2 e 3.3 já estão prontos. Já o lote 3.1 que, ao todo possui 28 km de extensão, apresenta 38% de trabalhos concluídos. Além disso, estão em execução as pontes do Oncinha, que foi totalmente reconstruída, Severo 2 (na segunda fase de construção da estrutura) e da Prainha (já na última fase de construção da estrutura).  A conclusão dos lotes 3.1 e 7 está prevista para dezembro de 2019. O lote 4 está em fase de conclusão do edital de licitação. Os demais lotes (5, 6 e 8) estão em processo de estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental.

Fonte: DNIT

próximo artigoCorinthians anuncia contratação do técnico Jair Ventura
Artigo seguinteIpatinga cadastra propriedades rurais para melhorias ambientais
0 0 votes
Classificação
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários