Em delação, Marcos Valério cita ligação do PT com o PCC

Durante delação premiada, o publicitário Marcos Valério, pivô do mensalão, falou sobre uma suposta relação de petistas com a facção criminosa do Primeiro Comando da Capital (PCC) à Polícia Federal. Algumas partes do depoimento foram disponibilizadas em reportagem da revista Veja, publicada nesta sexta-feira (1º).

Ainda de acordo com Valério, o empresário do ramo de transportes, Ronan Maria Pinto, teria chantageado o ex-presidente Lula para não revelar detalhes de como funcionava o esquema de arrecadação ilegal de recursos para financiar os políticos petistas. 

“De acordo com o delator, o então secretário-geral petista o informou que Ronan ameaçava revelar que o PT recebia clandestinamente dinheiro de empresas de ônibus, de operadores de transporte pirata e de bingos e que, neste último caso, os repasses financeiros ao partido seriam uma forma de lavar recursos do crime organizado. Valério é claro ao explicar a quem se referia ao mencionar, genericamente, crime organizado: o PCC.”, diz a reportagem da Veja.

O publicitário também fala sobre um dossiê, produzido por Celso Daniel, com informações sobre quais petistas eram financiados ilegalmente pelo dinheiro do PCC e das empresas de ônibus controladas por Ronan. 

próximo artigoAcordo deve ampliar relação comercial entre Brasil e Portugal
Artigo seguinteCitado em denúncias de assédio, vice-presidente da Caixa renuncia