Bolsonaro diz que senador Chico Rodrigues não faz parte do governo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta quinta-feira (15), em frente ao Palácio da Alvorada, que o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), pego com dinheiro na cueca em uma operação da PF (Polícia Federal) não faz parte de sua administração, apesar de ser vice-líder do governo no Senado. 

Aos apoiadores, Bolsonaro disse que  “vocês estão há quase dois anos sem ouvir falar em corrupção no meu governo”. E acrescentou: “O meu governo são os ministros, as estatais e bancos oficiais”.

O presidente elogiou a operação feita em conjunto pela PF (Polícia Federal) e a CGU (Controladoria-Geral da União), responsável por encontrar dinheiro supostamente desviado com o senador. 

“Parte da imprensa está me acusando de o cara ser meu amigo, [dizendo que] eu o coloquei como vice-líder, o que diria que eu não combato a corrupção”, reclamou. “Nós estamos combatendo a corrupção, não interessa a pessoa suspeita.”

A investigação, sob sigilo, que teve como um dos alvos Chico Rodrigues apura desvios de recursos públicos destinados ao combate à pandemia de covid-19, oriundos de emendas parlamentares. A ordem de busca e apreensão foi autorizada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso.

Foram encontrados R$ 30 mil dentro da cueca do vice-líder do governo. Ao todo, os valores descobertos na casa do senador chegariam a R$ 100 mil. A investigação apura indícios de irregularidades em contratações feitas com dinheiro público, que teriam gerado sobrepreço de quase R$ 1 milhão.

“A investigação de ontem é um exemplo típico do meu governo”, declarou Bolsonaro.

Segundo o presidente, operações do tipo vão continuar. “A CGU está de olho, a nossa Polícia Federal está de olho. Lamento esses desvios de recursos. Quando se desvia dinheiro da saúde, pessoas morrem.”