ALMG iniciará legislatura com cinco deputados abaixo dos 30 anos

Se a renovação na Assembleia Legislativa (ALMG) foi a menor dos últimos 20 anos – menos de 33% –, o Parlamento mineiro vai ter ares um pouco mais jovens na próxima legislatura. Cinco deputados eleitos que tomarão posse em fevereiro de 2023 têm menos de 30 anos, sendo quatro para o primeiro mandato. O total é maior do que em nos pleitos anteriores: em 2018 foram apenas dois, e, em 2014 e em 2010, foram quatro.

No entanto, mesmo jovens, a maioria deles está ligada à tradição. Três dos cinco mais jovens eleitos – Zé Laviola (Novo), Maria Clara Marra (DC) e Chiara Biondini (PP) – são de famílias tradicionais na política. 

Zé Laviola, 28, é filho da deputada estadual Celise Laviola, que exerce atualmente o segundo mandato na ALMG, e neto do ex-deputado estadual José Laviola Matos, que teve seis mandatos. Além disso, José Henrique, que era tio do futuro deputado, foi eleito cinco vezes para a ALMG.

Zé Laviola se considera liberal e conservador, com algumas pautas ligadas à centro-direita. Mesmo vindo de berço tradicional, ele se candidatou pelo Partido Novo por se identificar com as bandeiras da legenda. Graduado em direito e produtor agropecuário, Zé Laviola acredita que o segundo mandato de Romeu Zema (Novo) terá mais resultados: “O governo estará mais maduro e vai conseguir formar uma base ampla para o apoio a uma gestão mais eficiente”.

Sobre questões como armamento, a chamada “ideologia de gênero”, legalização de drogas, entre outras, ele preferiu não se posicionar publicamente por considerar que não são da competência do Legislativo mineiro. “(Acho) que são (temas) irrelevantes do ponto de vista da discussão. Esses assuntos não passam (por votação) pela Assembleia”, disse o deputado eleito. 

Outro deputado estadual com menos de 30 anos é Bruno Engler (PL). Ele conquistou a vaga pela primeira vez em 2018, com 21 anos – até então, era o mais jovem eleito no Estado, posto ocupado este ano por Chiara Biondini. 

É um dos destaques da direita brasileira. Defensor das pautas conservadoras, ajudou a fundar o Movimento Direita Minas. Nos discursos, enaltece a luta contra a ideologia de gênero e o aborto. Ele não respondeu às tentativas de contato da reportagem.

Posse de Chiara só após 21 anos

Aos 20 anos, Chiara Biondini (PP) foi a mais jovem deputada eleita do país. Ela só tomará posse após o dia 22 de fevereiro, quando completará 21 anos – o regimento interno da ALMG autoriza a posse em até 30 dias após a primeira reunião da legislatura. É filha do deputado federal Eros Biondini (PL). 

Chiara não respondeu aos contatos feitos pela reportagem. Ligada ao movimento Renovação Carismática Católica (RCC), assim como o pai, diz, em suas redes sociais, que é defensora de pautas conservadoras, em defesa da vida e da família, contra o aborto, a pedofilia, as drogas e a violência contra mulher. Também pretende se pautar pela defesa das pessoas com síndrome de Down e doenças raras.

Outra jovem deputada eleita foi Maria Clara Marra (DC) na primeira vez que se candidatou a um cargo eletivo. Aos 23 anos, ela também vem de família tradicional. O pai dela, Deiró Marra (DEM), está no segundo mandato como prefeito de Patrocínio, no Alto Paranaíba, e foi eleito deputado estadual por três vezes, entre 2005 e 2016. 

Formada em ciências contábeis e graduanda em direito, a futura deputada não gosta de se definir de direita, esquerda ou centro. “Não gosto de rótulos. Se fosse para alguma definição, seria mais para a social-democracia. Fui eleita por um partido de direita e coaduno com várias bandeiras do partido, mas acredito muito na necessidade de um Estado que esteja presente para mitigar as desigualdades sociais. Fiquei feliz pela eleição do Zema, pretendo ser base”, disse. 

Lohana é a única jovem eleita por um partido de esquerda

Dos cinco futuros deputados com menos de 30 anos, Lohana França (PV) é a única eleita por um partido de esquerda. “Sou de centro-esquerda e progressista”, ressalta. Aos 27 anos, professora, graduada em bioquímica, chega para seu primeiro mandato de deputada após iniciar a carreira política como vereadora de Divinópolis, no Centro-Oeste – quando assumiu, foi a mais jovem e também a mais votada da cidade.

Atuante no movimento estudantil e no voluntariado, pretende, na ALMG, atuar com mais ênfase na busca de projetos que valorizem a educação e os servidores. “É uma das áreas que mais precisam de ações no Estado. O governo precisa buscar um melhor entendimento com os profissionais, não pode ignorar os servidores. Ninguém quer passar quatro anos brigando”, diz. 

Escolha

Entre os 77 deputados estaduais vencedores nas urnas neste ano em Minas Gerais, 52 foram reeleitos, e 25 vão ocupar uma cadeira na Assembleia pela primeira vez em suas vidas 


Últimos deputados eleitos com menos de 30 anos
2022

Chiara Biondini – (20) 
Maria Clara Marra – (23) 
Bruno Engler – (25)
Lohana França – (27) 
Zé Laviola – (28) 

2018 
Bruno Engler – (21) 
Doorgal Andrada – (26) 

2014
Tadeu Martins Leite – (28) 
Tiago Cota – (29) 

2010 
Tadeu Martins Leite – (24) 
Gustavo Perrella – (27) 
João Vítor Xavier – (28) 
Cássio Soares – (29)

próximo artigoCatar vive do petróleo, do gás e em desigualdade, diz professor
Artigo seguinteTrês nomes de Minas Gerais estão cotados para assumir ministérios no governo Lula