Número de empregados domésticos bate recorde, em 2019

(Foto: YASUYOSHI CHIBA/AFP/Getty Images)

Segundo dados da Pnad Contínua do IBGE, 6,356 milhões de brasileiros encontraram sustento nos serviços domésticos em 2019, maior contingente da série histórica, iniciada em 2012.

Apesar do volume recorde, o número de empregados domésticos com carteira de trabalho assinada caiu ao menor patamar da série: 1,757 milhão – outros 4,598 milhões atuavam na informalidade, maior montante já registrado.

Os trabalhadores formais ganham, em média, 68% a mais que os informais. Ainda de acordo com o IBGE, o salário médio de um empregado doméstico sem carteira foi de R$ 755 em novembro passado, enquanto o trabalhador doméstico com carteira assinada recebia R$ 1.269.

O auge da carteira assinada do setor ocorreu entre 2015 e 2016, quando mais de dois milhões de trabalhadores domésticos exerciam a profissão de maneira formal.