MP denuncia ex-CEO da mineradora Vale e mais 15 por homicídio

O rompimento da barragem completa um ano no próximo sábado (Foto: divulgação)

O Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) denunciou a Vale e a empresa alemã de inspeções Tüv Süd e mais 16 pessoas por crimes ligados ao rompimento da barragem da mineradora em Brumadinho, ocorrido em 25 de janeiro de 2019.

As empresas são acusadas de crimes ambientais, enquanto o ex-presidente da Vale, Fábio Schvartsman, e outras quinze pessoas estão sendo acusados de homicídio doloso, aquele em que existe intenção de matar.

A tragédia da mina do Córrego do Feijão deixou 270 vítimas, das quais 259 foram encontradas sem vidas e outras 11 seguem desaparecidas. 

Ao portal G1, a defesa do ex-presidente Fabio Schvartsman disse que a denúncia por “homicídio doloso é açodada e injusta”, enquanto a Vale declarou que “expressa sua perplexidade ante as acusações de dolo”. Já a Tüv Süd afirmou que está oferecendo “cooperação às autoridades e instituições no Brasil e na Alemanha no contexto das investigações em andamento”.