Fundador da Ricardo Eletro é preso por sonegação fiscal

O empresário Ricardo Nunes, fundador e ex-acionista da rede varejista Ricardo Eletro, foi preso na manhã desta quarta-feira (8), em São Paulo, em uma operação de combate à sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. A força-tarefa conta com o Ministério Público de Minas Gerais, a Receita Estadual e a Polícia Civil.

A filha do empresário, Laura Nunes, também foi presa em Belo Horizonte e há um mandado de prisão contra o diretor superintendente da rede varejista, Pedro Daniel Magalhães, que está em São Paulo, porém foragido. O irmão de Ricardo, Rodrigo Nunes, teve expedido um mandado de busca e apreensão.

A operação foi nomeada de “Direto com o Dono” e as investigações apontam que foram sonegados mais de R$ 400 milhões em impostos por mais de cinco anos.

Segundo o Ministério Público, a Ricardo Eletro cobrava dos clientes os impostos nos preços dos produtos, mas não repassava ao Poder Público. A empresa está em recuperação extrajudicial e os bens de Ricardo não estão em seu nome, mas diluídos entre as filhas, mãe e um irmão.

A Ricardo Eletro faturou mais de R$ 2 bilhões em 2019 e previa um faturamento de R$ 2,6 bilhões para 2020, mas a pandemia do coronavírus desacelerou a expansão. São mais de 2,4 mil vendedores e 300 lojas pelo Brasil.