Brasil tem 1.128 casos confirmados de coronavírus, sendo 38 em Minas; 18 pessoas morreram no país

Subiu para 1.128 o número de casos confirmados do novo coronavírus no Brasil, sendo 224 casos a mais em relação ao último boletim divulgado na sexta (20). Deste total de vítimas, 38 são em Minas. O número de mortos também subiu de 11 para 18 mortos, sendo 15 em São Paulo e três no Rio.

Os números fazem parte de um novo balanço do Ministério da Saúde, divulgado na tarde deste sábado (21), que revelou ainda que a taxa de letalidade da doença no Brasil está em 1.6%. Ou seja, 1,6 pessoas a cada cem morrem no Brasil pela doença atualmente. 

De acordo com a contagem do Ministério da Saúde, a região Sudeste registra o maior número de casos, com 642 confirmações. Em seguida, a região Nordeste, que soma 168 casos; a região Sul, com 154 casos; Centro-Oeste, com 138; e a região Norte, com 26. 
 

REGIÃOCASOSPORCENTAGEM
Norte262,3%
Nordeste16814,9%
Sul15413,7%
Sudeste64256,9%
Centro-Oeste13812,2%
TOTAL:1.128 casos 

Pelo segundo dia seguido, o ministério da Saúde não divulgou o número de casos suspeitos. De acordo com o secretário executivo da pasta, João Gabbardo dos Reis, o reconhecimento de transmissão comunitária (quando não é mais possível traçar a origem da contaminação) em todo o país fez o conceito de casos suspeitos perder o sentido.

“Estamos numa situação em que já está caracterizada a transmissão comunitária. Agora, qualquer cidadão brasileiro com sintoma pode ser considerado caso suspeito, por isso não faz mais nenhum sentido divulgar esse número”, justificou Gabbardo.

Testes

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, informou que o ministério está prestes a adquirir 5 milhões de testes rápidos para o diagnóstico do coronavírus. Ele disse que a distribuição para todo o país começará em oito dias e ressaltou que o número de casos leves deverá aumentar nos próximos dias por causa da simplificação dos testes.

“Os testes estarão disponíveis daqui a oito dias para distribuição em todo o Brasil. Isso vai aumentar muito a velocidade de diagnóstico em todo o país”, declarou. Nas próximas semanas, o número poderá chegar a 10 milhões de testes rápidos, informou o secretário.

(*Com Agência Brasil)