Rússia e Ucrânia anunciam inesperada grande troca de prisioneiros

Rússia e Ucrânia

Rússia e Ucrânia realizaram uma inesperada troca de prisioneiros nesta quarta-feira (21), a maior desde o início da guerra, envolvendo quase 300 pessoas, incluindo 10 estrangeiros e os comandantes que lideraram a longa campanha de defesa ucraniana na cidade de Mariupol no início deste ano.

Os estrangeiros libertados incluem dois britânicos e um marroquino que haviam sido condenados à morte em junho depois de serem capturados lutando pela Ucrânia. Também foram libertados outros três britânicos, dois norte-americanos, um croata e um sueco.

O momento e a magnitude da troca foram uma surpresa, já que o presidente russo, Vladimir Putin, anunciou uma mobilização parcial de tropas no início do dia, em uma aparente escalada do conflito que começou em fevereiro. Separatistas pró-Rússia também disseram no mês passado que os comandantes de Mariupol iriam a julgamento.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, disse que a troca –que envolveu a ajuda da Turquia e da Arábia Saudita– estava em preparação há muito tempo e envolveu intensa negociação. Sob os termos do acordo, 215 ucranianos –a maioria dos quais capturados após a queda de Mariupol– foram libertados.

Em troca, a Ucrânia enviou de volta 55 russos e ucranianos pró-Moscou, além de Viktor Medvedchuk, líder de um partido pró-Rússia banido que enfrentava acusações de traição.

“Esta é claramente uma vitória para nosso país, para toda a nossa sociedade. E o principal é que 215 famílias podem ver seus entes queridos seguros e em casa”, disse Zelenskiy em um discurso em vídeo.

próximo artigoTermina prazo para tirar versão impressa do título eleitoral
Artigo seguinteBeneficiários com NIS final 4 recebem hoje o Auxílio Brasil