Putin não viajará a Bali para a reunião do G20

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, não viajará para a reunião de líderes dos G20 em Bali na próxima semana, anunciou a embaixada russa na Indonésia.

O encontro de cúpula na turística ilha indonésia será a maior reunião do G20 desde o início da pandemia de covid-19, no fim de 2019.

Pela primeira vez, uma fonte oficial russa confirmou a ausência de Putin na reunião, que seria o primeiro encontro dele com o presidente americano Joe Biden desde o começo da guerra na Ucrânia.

“Posso confirmar que (o ministro das Relações Exteriores) Serguei Lavrov vai liderar a delegação no G20. A agenda do presidente Putin ainda está sendo organizada, ele poderia participar virtualmente”, disse Yulia Tomskaya, diretora de protocolo da embaixada.

Há vários meses analistas especulavam sobre a presença ou não de de Putin na reunião, que acontecerá nos dias 15 e 16 de novembro em Bali.

Após reveses militares consideráveis para Moscou na Ucrânia, o Kremlin tenta proteger seu líder das críticas dos países ocidentais durante o encontro dos chefes de Estado e de Governo das 20 principais economias mundiais.

Joe Biden, que já chamou Putin de “criminoso de guerra”, afirmou que não tinha a intenção de se reunir com ele em Bali, mesmo que o presidente russo comparecesse ao evento.

Outra fonte a par da agenda do governo russo já havia afirmado à AFP que Putin seria substituído por Lavrov e que não está claro se o chefe de Estado participará virtualmente no encontro.

O chefe da diplomacia russa abandonou uma reunião de ministros das Relações Exteriores do G20 em Bali, em julho, após as críticas ocidentais pela invasão da Ucrânia.

A Indonésia foi muito pressionada pelas potências ocidentais para excluir a Rússia do encontro como resposta à guerra da Ucrânia, mas o país anfitrião defendeu sua neutralidade no evento.

O presidente indonésio Joko Widodo afirmou que Putin seria convidado para a reunião e anunciou em agosto que o convite havia sido aceito.

Jacarta também convidou o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, para uma participação virtual, embora o país não integre o G20.

Analistas destacam que a ausência de Putin afetará a reunião, impedindo a possibilidade de encontrar soluções para a guerra e suas consequências econômicas globais.

As potências ocidentais estabeleceram sanções severas contra Moscou, mas a abordagem dos governos a respeito de Putin é diferente.

Biden evitou qualquer contato com o colega russo desde o início da guerra, mas o presidente francês Emmanuel Macron fez um alerta contra o isolamento completo de Putin no cenário internacional.

Além disso, embora as sanções tenham afetado a máquina de guerra russa, outras potências prosseguiram com seus laços com Moscou. Índia e China, ambas presentes no G20, aumentaram suas compras de petróleo russo.

As conversas no G20 serão ofuscadas por divisões sobre a guerra na Ucrânia, que provocou uma crise alimentar global e elevou os preços da energia.

Até hoje, todas as reuniões do G20 terminaram sem comunicados conjuntos e não se prevê um resultado diferente desta vez, em um cenário de troca de acusações pelas tensões globais.

próximo artigoTalibãs proíbem os parques de Cabul às mulheres
Artigo seguinteAprovada proposta que facilita poda de árvores para evitar acidentes