O primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, viajará com representantes de ao menos 40 empresas, com o intuito de aumentar os investimentos do Japão no Brasil

O primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, desembarca no Brasil na semana que vem para um encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ambos devem assinar um acordo de cooperação bilateral sobre diversas questões ambientais, incluindo a mudança climática e o processo de redução das emissões de carbono.

Kishida viajará com representantes de ao menos 40 empresas, com o intuito de aumentar os investimentos do Japão no Brasil e estimular a cooperação em tecnologias verdes. As informações são da agência japonesa Kyodo News. Em março, a montadora japonesa Toyota anunciou um plano para investir R$ 11 bilhões e aumentar a produção de veículos híbridos no Brasil.

Além do Brasil, Fumio Kishida visitará a França e o Paraguai na próxima semana, como parte de uma estratégia para estimular os vínculos com a América Latina, anunciou o governo japonês. Durante a viagem de seis dias, Kishida se reunirá com o presidente francês, Emmanuel Macron.

“Este é o ano da América Latina, que é o centro das atenções do mundo”, disse o porta-voz do governo japonês, Yoshimasa Hayashi, em uma entrevista coletiva na qual destacou que o Brasil preside o G20 e o Peru está com a presidência do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC). “O Japão quer aproveitar a oportunidade para fortalecer os vínculos com os países da América Latina”, acrescentou Hayashi.

Lula e Kishida conversaram em janeiro

Em janeiro, Lula e Kishida conversaram ao telefone. Entre os temas da conversa, o fortalecimento da parceria estratégica e do comércio entre Brasil e Japão, a presidência brasileira do G20 e a cooperação entre os dois países nos foros multilaterais em prol da paz, da democracia e da superação da pobreza.

Na oportunidades, os dois manifestaram a intenção de que se realizasse, oportunamente, uma visita do líder japonês ao Brasil e conversaram também sobre a possibilidade de um acordo comercial entre Mercosul e Japão.

Lula expressou solidariedade ao povo japonês e em particular às vítimas dos terremotos de 1º de janeiro. Relembrou que, no próximo ano, Brasil e Japão completam 130 anos de relações diplomáticas. Concordou que ambos os países continuem a trabalhar pelo fortalecimento da parceira estratégica e pelo aumento do comércio bilateral.

Os dois líderes falaram também sobre a defesa da paz e da superação dos conflitos em andamento no mundo. Concordaram sobre a importância do fortalecimento das instâncias multilaterais para que guerras como a de Gaza e a da Ucrânia não venham a se repetir.

Lula agradeceu o convite que recebeu de Kishida no ano passado para participar da cúpula do G7, em Hiroshima, e manifestou vontade de que o Japão esteja envolvido em todas as instâncias de discussão do G20 este ano. Realçou a necessidade de trazer o debate sobre as mudanças climáticas e energias renováveis para o centro das discussões do G20. Ressaltou que o Brasil irá lançar no G20 uma aliança global contra a fome e a pobreza e que a superação das desigualdades é fundamental para a defesa da democracia. “Não é possível explicar para a humanidade por que se gasta mais recursos em guerras do que no combate à pobreza”, disse. (Com AFP)

próximo artigoSaúde do Rei Charles III tem piora e roteiro de funeral é atualizado, diz site
Artigo seguinteWagner Moura mostra samba no pé e entusiasma plateia de talk show nos EUA

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here