Papa pede que americanos assumam ‘responsabilidades’ após violência no Capitólio

O papa Francisco pediu, neste domingo (10), às autoridades e ao povo americano que “assumam responsabilidades” após os atos violentos ocorridos na quarta-feira (6) no Capitólio em Washington.

“Exorto as autoridades e o povo” dos Estados Unidos “a manter alto seu senso de responsabilidade, para que os espíritos se acalmem, os valores democráticos sejam protegidos e a reconciliação nacional seja favorecida”, disse o papa na tradicional oração dominical do Angelus, transmitida por vídeo do Palácio Apostólico do Vaticano.

“Envio uma saudação calorosa ao povo dos Estados Unidos, comovido pelo recente assalto ao Congresso (…) Rezo por quem perdeu a vida, cinco no total. A violência é sempre autodestrutiva, sempre”, insistiu.

Em entrevista ao Canale 5 da televisão local, o papa Francisco também disse que ficou “estupefato” com a violência nos Estados Unidos, “porque se trata de um povo muito disciplinado na democracia”.

“Esse movimento deve ser condenado”, considerou o pontífice argentino na entrevista, que será transmitida esta noite, embora algumas passagens tenham sido divulgadas no sábado.

Essas declarações vêm em um momento em que o presidente Donald Trump pode enfrentar um segundo processo de impeachment na segunda-feira (11), um evento sem precedentes na história, após a violência de 6 de janeiro no Capitólio.

Um texto de acusação, elaborado por legisladores democratas, o acusa de ter “feito declarações deliberadas” que incitaram seus partidários a invadir o prédio do Congresso.

Reunidos por Donald Trump para protestar contra a ratificação pelo Congresso da vitória de Joe Biden na consulta presidencial, eles invadiram a sessão parlamentar. Eventos nunca vistos antes em Washington, nos quais cinco pessoas morreram, incluindo um policial.