Homem conhecido como ‘Pirata Informático’ é julgado por 93 crimes em Portugal

Rui Pinto será julgado por 93 crimes dos 147 que é acusado (Foto: reprodução)

O Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa decidiu levar a julgamento Rui Pinto, criador do Football Leaks, por 93 crimes, incluindo extorsão.

Rui Pinto, conhecido como ‘Pirata Informático”, vai ser julgado por seis crimes de acesso ilegítimo, 68 de acesso indevido, um por sabotagem informática, 14 por violação de correspondência na forma simples, três por violação de correspondência na forma agravada e um por tentativa de extorsão ao fundo de investimento Doyen, na forma tentada, crime pelo qual o advogado Aníbal Pinto também foi pronunciado.

A decisão foi tomada pelo Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, nesta sexta-feira (17).

Em setembro de 2019, o Ministério Público (MP) acusou Rui Pinto de 147 crimes, 75 dos quais de acesso ilegítimo, 70 de violação de correspondência, sete deles agravados, um de sabotagem informática e um de tentativa de extorsão, por aceder aos sistemas informáticos do Sporting, da Doyen, da sociedade de advogados PLMJ, da Federação Portuguesa de Futebol e da Procuradoria-Geral da República, e posterior divulgação de dezenas de documentos confidenciais destas entidades.

A instrução, fase facultativa que visa decidir se o processo segue e em que moldes para julgamento, foi requerida pela defesa dos dois envolvidos no processo: Rui Pinto e o seu advogado, à data dos fatos, Aníbal Pinto, acusado de intermediar a tentativa de extorsão.

Com informações da RTP, Rede de Televisão Pública de Portugal