Hofit Golan, uma influenciadora internacional, é uma figura proeminente nas mídias sociais e no mundo do entretenimento, com uma presença marcante em eventos de moda e tapetes vermelhos, como o Oscar. Hofit optou por usar um vestido criado pelo estilista israelense Yaniv Persy para o after-party do Oscar deste ano, transmitindo uma mensagem importante de coexistência entre israelenses e palestinos.

Conversei com Hofit neste fim de semana e ela me explicou como surgiu a idéia do look para o tapete vermelho:

”O estilista, Yaniv Persy, me contatou quando soube que eu estava em Los Angeles e me perguntou se eu gostaria de usar esse vestido para a Gala do Oscar na festa da Warner Brothers Estate. Eu disse que seria melhor no tapete vermelho e na passarela do Fashion Show. No entanto, quando vi o vestido com os nomes das vítimas, comecei a chorar incontrolávelmente… Eu já estava maquiada e com o cabelo pronto, mas não pude controlar minhas emoções.”

Yaniv Persy, nascido em Israel em 1978, ficou conhecido por seu estilo sofisticado ao estrear sua marca de noivas no final de 2009, acompanhada de acessórios luxuosos. Ao longo de mais de 20 anos de carreira, colaborou com John Galliano, Roberto Cavalli, Donna Karan e Lanvin. No entanto, este ano, para o Oscar, ele fez uma declaração que surgiu de sua experiência pessoal, um apelo pela paz na forma de um vestido:

“Quando criei este vestido, muitas coisas passavam pela minha mente. Eu mesmo perdi membros da minha família, e uma amiga muito próxima perdeu seu filho, que foi morto. Eu estava expressando todos esses pensamentos e dores durante a criação do vestido.”

Yaniv Persy
Yaniv gostaria de sensibilizar a audiência para as questões políticas e inspirar a paz:

”Eu gostaria que a audiência acordasse. Estamos vivendo um momento muito sombrio da humanidade, e os políticos falharam. Temos que nos unir, não importa a religião, cor ou crença. Por um mundo e futuro melhores para nossas famílias e a humanidade. Não podemos dar espaço ao antissemitismo e racismo. Temos que permanecer vigilantes e não esquecer que o terrorismo não faz parte da humanidade.”

Além dos nomes das vítimas do ataque de 7 de outubro, Yaniv adicionou ao vestido símbolos judaicos e símbolos típicos da cultura dos palestinos árabes, como o ”keffiyeh”, o lenço xadrez preto e branco. Yaniv me disse que o design representa:

”A coexistência: ambas as religiões não acreditam em massacres e assassinatos, no estupro de inocentes, e sempre precisamos abrir nossos olhos para esses fatos”

Todos que estavam presentes compartilharam dos sentimentos de Hofit ao ver o vestido:

“Todos se emocionaram. É uma reação humana. Aquelas pobres pessoas, a forma como morreram e o terror que sentiram. Sinto-me honrada por ter tido a possibilidade de representá-las.”

próximo artigoMorre o produtor mexicano Nicandro Díaz, de novelas como Carinha de Anjo e Minha Fortuna é te Amar
Artigo seguintePacientes com neuroblastoma esperam inclusão de remédio de R$ 2 milhões no SUS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here