Rival vascaíno, Ituano quer coroar arrancada com 1º acesso à Série A

Conhecida pelos “exageros”, a cidade de Itu, no interior de São Paulo, a 102 quilômetros da capital, é a casa do Ituano Futebol Clube. O que nao é exagero é afirmar que o Galo rubro-negro será uma enorme barreira para o Vasco na luta cruzmaltina para retornar à Série A do Campeonato Brasileiro. Ainda mais porque a equipe paulista é concorrente direta por um lugar na primeira divisão nacional em 2023.

O Ituano ocupa o quinto lugar da Série B, com 57 pontos, dois a menos que o Vasco, que está em quarto, neste momento, levando a última vaga à Série A do ano que vem. Paulistas e cariocas estarão frente a frente neste domingo (6), às 18h30 (horário de Brasília), no estádio Novelli Júnior, em Itu, pela última rodada. O empate basta para o Gigante da Colina assegurar o retorno à elite, após duas temporadas. Já o time rubro-negro precisa apenas de uma vitória simples, em casa, para selar o acesso inédito à Série A em 75 anos de história do clube.

“Acredito que, pelas circunstâncias, sim [é o jogo mais importante da história do Ituano]. Tivemos a final [do Campeonato Paulista] contra o Santos, em 2014, quando fomos campeões. Um grande jogo. Mas a dimensão de ser um Campeonato Brasileiro e com esse plano de fundo, uma decisão na última rodada, realmente, acredito que sim”, avaliou Paulo Silvestri, gestor de futebol do Ituano, em entrevista.

Lutar pelo acesso não estava nos planos do clube paulista no início da Série B. De volta à segunda divisão após 15 anos, o Galo encerrou o primeiro turno na 16ª colocação, com 20 pontos, próximo à zona de rebaixamento. Na segunda metade da competição, porém, o time rubro-negro deslanchou. Em 18 rodadas, somou 39 pontos, assegurando, por antecipação, a melhor campanha do segundo turno.

“Tínhamos o componente de reaprendermos a jogar a divisão. Acredito que começamos com cautela, um pouco com o freio de mão puxado, mas percebemos à tempo. Fizemos uma mudança na comissão [Mazola Júnior, treinador campeão da Série C com o Ituano em 2021, foi demitido na 17ª rodada]. Nomeamos o Carlos Pimentel [que era auxiliar]. É um excelente profissional, que está conosco há muito tempo, um estudioso do futebol, que conhecia bem o elenco. Com isso, viramos protagonistas”, analisou Silvestri, que não vincula o planejamento de 2023 ao eventual acesso.

“Ao longo de mais de 10 anos de gestão profissional, a história mostra que, a cada ano, o Ituano precisa de progresso. Mais infraestrutura, mais recursos e chegar mais longe no que disputar. É nossa regra. Queremos fazer um Campeonato Paulista forte. É uma competição difícil e que conhecemos bem. Voltaremos à Copa do Brasil, depois de uma longa ausência [a última participação foi em 2018], o que é muito importante para o Ituano. E teremos o Brasileiro, na série que for. Queremos um 2023 melhor que 2022”, projetou o gestor.

Na quarta-feira (2), o Ituano informou que os ingressos para a decisão contra o Vasco estavam esgotados. Foram colocados à venda 14.970 bilhetes. Em casa, o Galo de Itu tem o sétimo melhor desempenho entre os mandantes, com 10 vitórias, seis empates e apenas duas derrotas – a última delas há quatro meses.

“Não há favoritos, mas acredito que vamos vencer”, concluiu o dirigente.

Se o Ituano conquistar o acesso, o futebol paulista deverá ter seis representantes na Série A de 2023. A última vez que o estado teve tantas equipes na elite foi em 2012, com Santos, São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Ponte Preta e Portuguesa.

fonte: Agência Brasil

próximo artigoFabriciano realiza tarde comunitária de Educação Patrimonial
Artigo seguinteJogos Escolares Brasileiros são abertos com mais de 5 mil atletas