Mano Menezes celebra marca pelo Clube e já pensa no duelo da Libertadores

Além da boa vitória contra o Fluminense pelo Campeonato Brasileiro, o treinador Mano Menezes tem outro grande motivo para comemorar neste sábado. Ele se tornou o nono técnico que mais dirigiu a equipe celeste em toda a história. São 169 partidas no comando da Raposa, igualando o feito de Marcelo Oliveira, coincidentemente, adversário dessa noite, no Mineirão.

Mano Menezes, que também é o treinador mais longevo do futebol brasileiro, celebrou a marca, falou da importância de se ter um tempo no comando da equipe, agradeceu a todos que contribuíram com sua trajetória vitoriosa pelo Clube e reforçou o desejo de ficar por mais um longo tempo seguido de conquistas.

“Importantíssima, difícil de ser alcançada, rara na nossa realidade brasileira, mas o mais importante de estar aqui é aliar a quantidade de jogos, a seqüência de trabalho com conquistas importantes. Nosso objetivo é continuar focado nesse momento que estamos atravessando. Temos boas oportunidades nesse ano, trabalhamos bem para chegar ai com todo esse grupo, mas a marca me deixa contente e orgulhoso e aproveito para agradecer a todos que fizeram parte desta trajetória que eu espero que seja mais longa ainda e vitoriosa”, declarou.

“É importante para o futebol que os técnicos consigam um período maior para executar o trabalho. Isso geralmente olhando para trás gera bons resultados. Paciência, credibilidade, essas coisas, conseguimos com resultados. Por isso os resultados nesse processo são importantes. Sem resultados, ninguém vai a lugar nenhum. Nem o próprio treinador é capaz de estar confiante para passar aos seus jogadores. E os jogadores não ficam tão confiantes naquilo que ele (técnico) está falando. Quando você transpõe essa barreira, cria um ambiente favorável para ambicionar novas conquistas, e o trabalho fica mais duradouro com essas conquistas”, complementou.

Sobre a partida, Mano valorizou o resultado, mas já está com a cabeça pensando no duelo de quarta-feira, contra o Flamengo, pelas oitavas de final da Copa Libertadores. O técnico falou da boa vantagem da sua equipe, mas alertou para os perigos do adversário.

”É uma vantagem boa, sim. A gente não tem que esconder as coisas, ela é uma vantagem boa. Mas só vai ser boa mesmo se nós soubermos defender ela, não só no sentido de defender, mas aproveitar-se da pressão que está maior do lado de lá, da estratégia de talvez ter que ser um pouco mais audacioso, que nos dê algumas situação para tirar proveito disso. Sairmos na frente dentro da nossa casa, para fazer, quem sabe, um 3 a 0. E aí já se coloca uma situação maior, de vantagem. Então, tudo isso, é uma preparação de um jogo assim, mas é o jogo que vai falar. O jogo é que vai falar. Nós estamos enfrentando um adversário que tem capacidade de vir aqui e fazer o que a gente fez lá. Se a gente deixar! Mas nós não vamos deixar ”, concluiu o treinador.

Técnicos que mais comandaram o Cruzeiro na história:

1- Ilton Chaves – 362
2- Levir Culpi – 257
3- Niginho – 256
4- Ayrton Moreira – 206
5- Ênio Andrade – 187
6- Matturio Fabbi – 181
7- Orlando Fantoni – 172
8- Adilson Batista – 170
9 – Mano Menezes – 169
9- Marcelo Oliveira – 169
11- Bengala – 136
12- Carlos Alberto Silva – 135
13- Gérson Santos – 134
14- Zezé Moreira – 132
15- Vanderlei Luxemburgo – 126

Mano Menezes no Cruzeiro

2015: 16 jogos (8 vitórias, 6 empates e 2 derrotas); 27 gols marcados e 13 gols sofridos
2016: 28 jogos (13 vitórias, 7 empates e 8 derrotas); 40 gols marcados e 30 gols sofridos
2017: 75 jogos (36 vitórias, 24 empates e 15 derrotas); 112 gols marcados e 66 gols sofridos
2018: 50 jogos (27 vitórias, 12 empates e 11 derrotas); 70 gols marcados e 37 gols sofridos
Total: 169 jogos (84 vitórias, 49 empates e 36 derrotas); 249 gols marcados e 147 gols sofridos.